sábado, 16 de setembro de 2017

RESENHA: A AÇÃO SOB UM NOVO OLHAR - COM INTERPRETAÇÃO/GABARITO

RESENHA: A ação sob um novo olhar

   O cineasta Luc Besson é catalogado como o diretor francês que mais se parece com um profissional americano de Hollywood, por seus longas serem carregados de ação explosiva, além de quase sempre protagonizados por anti-heróis típicos de produções da terra do Tio Sam. 
      A presença de astros consagrados reforça essa definição — basta lembrar filmes icônicos como “Nikita” (que virou até seriado nos EUA), “O profissional”, “O quinto elemento” e as franquias “Carga explosiva” e “Busca implacável”.
     A diferença de Besson está no modo inteligente como ele insere, num peculiar cinema comercial, arte e reflexão sem parecer picaretagem, conseguindo atrair a simpatia de diferentes públicos. “Lucy” é o mais novo projeto com essa sua marca: a estrela Scarlett Johansson surge numa história que, num primeiro momento, lembra um filme de super-herói. Scarlett faz uma mulher acidentalmente envolvida na negociação de uma droga experimental, que, ao entrar em sua circulação, faz com que ela aumente a utilização de seu cérebro em 100%.
        A turbinada resolve então procurar um pesquisador (Morgan Freeman) do assunto, ao mesmo tempo em que um traficante está à sua procura. Com o filme colocado dessa forma, Lucy parece uma prima próxima da personagem Viúva Negra, também interpretada por Scarlett na série de filmes com super-heróis da Marvel — igualmente com cenas eletrizantes de luta. 
       Mas “Lucy” (no original) também faz uma reflexão em torno de questões como evolução, metafísica e tempo. Percebe-se que Besson se diverte pelo jeito como desenvolve a narrativa: a cada estágio de transformação de Lucy, o diretor intercala as explicações científicas do tal pesquisador. 
      Tudo de maneira a sustentar o conceito por trás da trama, desenvolvido com extrema habilidade e num ritmo propositalmente acelerado com objetivo de dar credibilidade ao improvável.

A AÇÃO sob um novo olhar. Disponível em:
 Acesso em: 16 de agosto de 2014.

 01 - O texto acima é um exemplo do gênero textual:
a) resumo.
b) ensaio.
c) biografia.
d) resenha.
e) editorial.

02. A quem se refere a expressão “tal pesquisador”, do Texto I?
 a) Ao ator Morgan Freeman.
b) Ao diretor Luc Besson.
c) Ao personagem interpretado por Scarlett Johansson.
d) Ao personagem interpretado por Morgan Freeman.
e) Ao personagem interpretado por Luc Besson.

A AÇÃO sob um novo olhar. Disponível em: Acesso em: 16 de agosto de 2014.

Um comentário: