sábado, 29 de setembro de 2018

MÚSICA: QUALQUER CANÇÃO - CHICO BUARQUE - COM QUESTÕES GABARITADAS

Música: Qualquer Canção
                            Chico Buarque

Qualquer canção de amor
É uma canção de amor
Não faz brotar amor e amantes
Porém, se esta canção
Nos toca o coração
O amor brota melhor e antes

Qualquer canção de dor
Não basta a um sofredor
Nem cerze um coração rasgado
Porém ainda é melhor
Sofrer em dó menor
Do que você sofrer calado.

Qualquer canção de bem
Algum mistério tem
É o grão, é o germe, é o gen da chama
E essa canção também
Corrói, como convém,                                        
O coração de quem não ama.

                                             Composição: Chico Buarque
Entendendo a canção:

01 – (UERJ 2008 –Q/06) A coerência é determinada, entre outros fatores, por elementos que contribuam para a progressão do texto. Na letra da canção de Chico Buarque, a coerência do texto decorre da utilização dos seguintes recursos:
(A) marcação rítmica, repetição vocabular, paralelismo sintático
(B) marcação rítmica, repetição vocabular, multiplicidade temática
(C) repetição vocabular, paralelismo sintático, multiplicidade temática
(D) marcação rítmica, paralelismo sintático, multiplicidade temática.

02 – (UERJ 2008 – Q/07) A pluralidade de sentidos, característica da linguagem poética, pode ser obtida por meio de vários mecanismos, como por exemplo, a elipse de termos. Esse mecanismo está presente, de modo mais marcante, no seguinte verso:
(A) “E amantes”
(B) “E antes”
(C) “Rasgado”
(D) “Calado”

03 – (UERJ 2008 – Q/08) Diferentes relações lógicas são estabelecidas entre as orações que compõem as estrofes do texto. Na segunda estrofe, essas relações expressam as ideias de:
(A) adição, contraposição e comparação
(B) negação, anterioridade e adversidade
(C) finalidade, contrariedade e consecução
(D) proporcionalidade, intensidade e conclusão

04 – (UERJ 2008 – Q/09) Na última estrofe do texto, o mistério a que se refere o eu lírico indica uma construção paradoxal. Os elementos que compõem esse paradoxo são:
(A) início e fim
(B) alegria e dor
(C) música e silêncio
(D) criação e destruição

CONTO: O DIA DA VENTANIA - PEDRO BANDEIRA - COM GABARITO


Conto: O dia da ventania

       A onça andava louca para devorar o coelho.
        Mestre coelho, que era muito esperto, imaginou um plano para acabar com a perseguição. Viu que a onça se aproximava e começou o seu planinho. Pegou o facão e pôs-se a juntar cipós, apressado e ansioso.
        A onça achou aquilo muito estranho e perguntou:
        --- Para que tanto cipó, mestre coelho?
        --- Pois não sabe comadre onça? Acontece que Tupã está furioso com todos os bichos da floresta e vai mandar um castigo terrível! Logo mais começa o Dia da Ventania Final!
        --- Dia da Ventania Final?! – espantou-se a onça. – O que é isso?
        --- É que vai ventar como nunca antes ventou no mundo. Vai ventar tanto que nenhum bicho vai conseguir ficar de pé na terra. Vai tudo pelos ares!
        --- Que horror! – horrorizou-se a burra da onça. – E o que é que se pode fazer?
        --- Quem não for bobo tem de pedir para alguém amarrá-lo bem amarrado numa árvore bem grossa. Eu estou juntando esses cipós aqui e vou correndo para casa amarrar todos os meus filhinhos.
        A onça estava apavorada:
        --- Me ajude, amigo coelho! Não quero ser levada pela ventania. Me amarre primeiro!
        --- Desculpe, comadre onça, mas não posso. Tenho de ir correndo pra casa e amarrar meus filhinhos.
        --- Não faça isso comigo, compadre coelho, por favor! Me amarre!
        A onça tanto insistiu que o coelho, depois de fingir que recusava, acabou concordando, Amarrou a danada da onça muito bem amarrada, com uma porção de cipós, na árvore mais forte da floresta!
        E foi feliz para casa, deixando a burra da onça muito bem amarradinha e muito satisfeita, à espera da ventania que nunca haveria de aparecer...

Pedro Bandeira. O dia da ventania. São Paulo. SEED editorial,2001.
Entendendo o conto:

01 – O coelho elaborou um plano porque tinha um problema com a onça. Qual era esse problema?
      A onça andava louca para devorar o coelho.

02 – Qual era o plano?
      Amarrar a onça, bem amarrada.

03 – Segundo o coelho, quem estava furioso com os bichos e o que ia acontecer?
     --- Pois não sabe comadre onça? Acontece que Tupã está furioso com todos os bichos da floresta e vai mandar um castigo terrível! Logo mais começa o Dia da Ventania Final!

04 – De quantos parágrafos o texto é formado?
      Possui 15 parágrafos.

05 – Qual o sinal de pontuação que inicia o quarto parágrafo? Para que serve?
      É o travessão. Serve para indicar uma conversa, um diálogo.

06 – Qual o sinal de pontuação que termina o quarto parágrafo? Para que serve?
      Ponto de interrogação. Para finalizar uma pergunta.

07 – O plano do coelho deu certo? Por que?
      Sim. Porque a onça implorou para ser amarrada.

08 – Dê um outro título para o texto.
      Resposta pessoal do aluno.

09 – O texto conta que mestre coelho era muito esperto e que a onça era “burra”. Você concorda? Por quê?
      Resposta pessoal do aluno.

10 – Qual o nome que o coelho deu ao castigo de Tupã?
      Dia de Ventania Final.

11 – Quais são as personagens do texto?
      O coelho e a onça.



CRÔNICA: OPORTUNIDADE - EDWARD ROWLAND SILL - COM GABARITO


Crônica: OPORTUNIDADE  
                   
                   Edward Rowland Sill 

        Não é a espada que você usa que faz de você um herói. É a maneira como você a usa.

Isto eu vi ou sonhei em meus sonhos:
Havia uma nuvem de poeira sobre a planície;

E sob a nuvem, ou dentro dela, rugia 
Uma violenta batalha, e os homens gritavam, e as espadas
Chocavam-se contra espadas e escudos. 
A bandeira de um príncipe
Avançava, mas, cercada pelo inimigo, começou a recuar. 
Um homem covarde tudo observava nos arredores
E pensava: “Se eu tivesse uma espada de puro aço afiado... 
Tal como a lâmina azulada que possui o filho do rei, e não essa
Coisa grosseira!” Então quebrou sua espada e atirou-a longe 
E, se arrastando, abandonou o campo da luta.
Então veio o filho do rei, ferido, encurralado
E desarmado, e viu a espada quebrada
Coberta pela poeira do chão.
Ele correu, arrebatou-a e, com um grito de guerra,
Ergueu-se novamente, e abateu o inimigo, 
E venceu a grande batalha daquele dia heroico.

 BENNETT, William J. O livro dos heróis para crianças.
Nova Fronteira, São Paulo, 2001. 
       
        O texto que você acabou de ler também conta uma história, não é mesmo? Mas, em forma de versos... É um poema! Vamos responder a algumas questões sobre ele?

Entendendo a crônica:
01 – Sublinhe as palavras que foram utilizadas para caracterizar o filho do rei nos versos: 
        “Então veio o filho do rei, feridoencurralado 
         desarmado, e viu a espada quebrada” 

02 – Justifique o emprego das aspas nos versos:
E pensava: Se eu tivesse uma espada de puro aço afiado... / Tal como a lâmina azulada que possui o filho do rei, e não essa / Coisa grosseira! Então quebrou sua espada e atirou-a longe.
      As aspas serve para mostrar o pensamento de um homem covarde.

03 – Volte ao poema e identifique a que termos as palavras destacadas no verso abaixo fazem referência: 
Ele correu, arrebatou-a e, com um grito de guerra,” 
      Ele: refere-se ao filho do rei.
      A: refere-se a espada.

04 – Você notou que o texto “Oportunidade” possui uma moral? 
a) Circule-a, no texto.
      E venceu a grande batalha daquele dia heroico.

b) Reflita sobre essa moral. Que ensinamento você pode tirar para o seu dia a dia?
      Resposta pessoal do aluno.
www.armazemdetextos.blogspot.com.br


PARÁBOLA: A CARROÇA VAZIA (QUESTÕES PARA SÉRIES INICIAIS) - COM GABARITO


Parábola: A Carroça Vazia

        Certa manhã, meu pai, muito sábio, convidou-me para dar um passeio no bosque e eu aceitei com prazer.
        Após algum tempo, ele se deteve numa clareira e, depois de um pequeno silêncio, me perguntou:



        --- Além do canto dos pássaros, você está ouvindo mais alguma coisa?
        Apurei os ouvidos alguns segundos e respondi:
        --- Estou ouvindo um barulho de carroça.
        --- Isso mesmo – disse meu pai – e é uma carroça vazia!
        Perguntei a ele:
        --- Como pode saber que a carroça está vazia, se ainda não a vimos?
     --- Ora – respondeu meu pai – é muito fácil saber que uma carroça está vazia por causa do barulho. Quanto mais vazia a carroça, maior é o barulho que faz.
        Tornei-me adulto e até hoje, quando vejo uma pessoa falando demais, gritando (no sentido de intimidar), tratando o próximo com grosseria   tenho a impressão de ouvir a voz do meu pai dizendo:
        --- Quanto mais vazia a carroça, mais barulho ela faz!

                Moral da história: "Quem muito fala, muito erra."

Entendendo a parábola:

01 – Retire do texto as palavras acentuadas.
      Manhã; sábio; após; silêncio; além; pássaros; você; está; fácil; próximo; impressão.

02 – Qual é o título da parábola?
      “A carroça vazia”.

03 – Quando eles foram passear no bosque?
      Certa manhã.

04 – Além do canto dos pássaros que outro barulho eles ouviram?
      Um barulho de carroça.

05 – Como o pai sabia que a carroça estava vazia?
      Quanto mais vazia a carroça, maior é o barulho que faz.

06 – Qual a moral da história?
      “Quem muito fala, muito erra”.

07 – “Quanto mais vazia a carroça, mais barulho ela faz!’’ a palavra grifada na frase tem o significado de:
(a) +   
(b) porém
(c) mas

08 – Os verbos: convidou – aceitei – perguntou – respondeu, estão em que tempo:
a) Presente.
b) Pretérito (passado).
c) Futuro.

09 – A única palavra que não substitui a palavra grosseiro é:
a) descortês
b) indelicado
c) mal-educado
d) ignorante

10 – A palavras que marcam no texto o tempo em que os fatos são narrados são:
a) certa manhã / no passado
b) certa manhã / hoje
c) ontem /amanhã
d) hoje /agora

11 – Na frase ‘Perguntei a ele:’ a palavra grifada de acordo com o texto se refere a:
a) o menino
b) o carroceiro
c) o pai
d) o narrador

12 – Localize na Parábola o verbo estar e circule.
      Resposta pessoal do aluno.

www.armazemdetextos.blogspot.com

TEXTO: MACAQUINHO EM EXTINÇÃO VIRA XODÓ DE CRIANÇAS NO ZOO DO RIO - COM GABARITO


Texto: Macaquinho em extinção vira xodó de crianças no zoo do Rio

     O Jardim Zoológico do Rio ganhou um novo morador. Seu nome é Miguelito, um macaco de peito amarelo, que nasceu no final do mês passado. O animal, que só é encontrado no sul da Bahia, está em extinção, segundo o zoo.
      O macaquinho teve de ser levado para o berçário do zoológico, porque sua mãe não soube cuidar do filhote. Com 140g de peso, Miguelito é alimentado com leite e um suplemento para bebês.
        Segundo o zoo, o animal se aquece com um bichinho de pelúcia. Ele virou um xodó principalmente das crianças. Os biólogos levantam Miguelito algumas vezes para que o público, do outro lado do vidro do berçário, veja o macaquinho.
        O zoo do Rio, no parque da Boa Vista, em São Cristovão (zona norte), funciona de terça a domingo, das 9h às 16h30. O valor do ingresso é de R$5. Criança com altura de até um metro, idosos a partir dos 60 anos e portadores de deficiência física com até dois acompanhantes não pagam entrada.

                                                                     Folha Online, 9/8/2007. 

Mãe de Miguelito não soube cuidar do filhote, que foi levado ao berçário do zoológico. Com seu bichinho de pelúcia, macaco Miguelito é o mais novo morador do zoo do Rio.
 Acesso em:08/09/2009.
Entendendo o texto:
01 – O texto que você leu é uma notícia. Sobre o que ela está tratando?
      Fala de um macaquinho que a mãe não soube cuidar.

02 – Uma notícia relata acontecimentos verdadeiros, que realmente ocorreram, ou acontecimentos criados pela imaginação do autor? Justifique sua resposta.
      De acordo com o texto, o caso relatado é verdadeiro, realmente ocorreu. “O macaquinho teve de ser levado para o berçário do zoológico.”

03 – De que veículo de comunicação foi extraída essa notícia?
      Foi extraída da Folha Online.

04 – Qual é a data da publicação da notícia?
      Foi publicada em 09/08/2007.

05 – Por que o macaquinho foi levado para o berçário do zoológico?
      Porque a mãe não soube cuidar dele.

06 – Qual é o peso de Miguelito? O que esse peso indica em relação ao tamanho do animal?
      Ele tinha 140 gramas de peso. É muito pequeno e precisava de todo cuidado.

07 – Releia o título da notícia.
a) O que quer dizer xodó?
      É mesmo que namoro. / Chamego / uma expressão carinhosa.

b) Por que você acha que essa palavra aparece no título da notícia?
      Resposta pessoal do aluno.

c) Por que o macaquinho teria se tornado o xodó das crianças?
      Porque ele era pequeno, bonito e chamava a atenção das crianças.

08 – Em sua opinião, por que esse fato tornou-se notícia?
      Resposta pessoal do aluno.

TEXTO: MENTE QUIETA, CORPO SAUDÁVEL - REVISTA SUPERINTERESSANTE - COM GABARITO


Texto: Mente quieta, corpo saudável

        A meditação ajuda a controlar a ansiedade e a aliviar a dor? Ao que tudo indica, sim. Nessas duas áreas os cientistas encontraram as maiores evidências da ação terapêutica da meditação, medida em dezenas de pesquisas. Nos últimos 24 anos, só a clínica de redução do estresse da Universidade de Massachusetts monitorou 14 mil portadores de câncer, AIDS, dor crônica e complicações gástricas. Os técnicos descobriram que, submetidos a sessões de meditação que alteraram o foco da sua atenção, os pacientes reduziram o nível de ansiedade e diminuíram ou abandonaram o uso de analgésicos.
              
                        Revista Superinteressante, outubro de 2003
Entendendo o texto:
01 – O texto tem por finalidade:
a) criticar.                                                                 
b) denunciar.
c) conscientizar.                                                           
d) informar.

02 – Retire do texto, acima, o verbo que esteja conjugado no Pretérito Perfeito do Indicativo.
      Encontraram, descobriram, reduziram.

03 – O título “Mente quieta, corpo saudável”, o que significa de acordo com o texto?
      Significa que quando estamos com a mente tranquila, o corpo está em harmonia.

04 – Quando e onde foi publicado o texto?
      Foi publicado pela Revista Superinteressante em outubro de 2003.

05 – Quais os dois tipos de sintomas que a meditação ajuda a controlar?
      Auxilia no controle da ansiedade e a aliviar a dor.


sexta-feira, 28 de setembro de 2018

MÚSICA: EMÍLIA A BONECA GENTE - BABY DO BRASIL - COM GABARITO

Música: Emília A Boneca Gente
                                         Baby do Brasil

De uma caixa de costura
Pano, linha e agulha
Nasceu uma menina valente
Emília, a Boneca-Gente

Nos primeiros momento de vida
Era toda desengonçada
Ficar em pé não podia, caía
Não conseguia nada

Emília, Emília, Emília
Emília, Emília, Emília

Mas a partir do momento
Que aprendeu a andar
Emília tomou uma pílula
E tagarelou, tagarelou a falar
Tagarelou, tagarelou a falar

Ela é feita de pano
Mas pensa como um ser humano
Esperta e atrevida
É uma maravilha
Emília, Emília

Emília, Emília, Emília
Emília, Emília, Emília

Pra cada história, ela tem um plano
Inventa mil ideias, não entra pelo cano
Ah, essa boneca é uma maravilha!
                     Composição: Baby Consuelo / Pepeu Gomes

Entendendo a canção:

01 – Qual o título da canção?
      Emília a Boneca Gente.

02 – Quem é o compositor da canção?
      Baby Consuelo e Pepeu Gomes.

03 – Como a Emília era nos primeiros momentos de vida?
      Era toda desengonçada.

04 – Retire do texto a estrofe que nos conta como Emília:
a) Nasceu:
“De uma caixa de costura
Pano, linha e agulha
Nasceu uma menina valente
Emília, a Boneca-Gente.”

b) Começou a falar;
“Mas a partir do momento
Que aprendeu a andar
Emília tomou uma pílula
E tagarelou, tagarelou a falar
Tagarelou, tagarelou a falar.”

05 – Qual é o sentido da expressão destacada no penúltimo verso da última estrofe? 
        “Inventa mil ideias, não entra pelo cano
      Pode ser: Se dar mal / Ficar encrencado / Ser enganado, etc.

06 – Repare que, ao caracterizar a boneca como “esperta” e “atrevida”, o eu poético está expressando sua opinião.
        Retire da música um verso em que fica claro o que o eu poético acha da “boneca-gente”.
      “Ela é feita de pano
       Mas pensa como um ser humano
       Esperta e atrevida
       É uma maravilha.”

07 – O que você entendeu por: “Pra cada história, ela tem um plano”?
      Resposta pessoal do aluno.

08 – A música fala de:
(   ) Um gato de botas.
(   ) Um soldadinho de chumbo.
(X) Uma boneca de pano.

09 – Que materiais foram utilizados para fazer a boneca Emília?
      Pano, linha e agulha.

10 – Procure, no dicionário, o significado da palavra tagarela.
      Tagarela: aquela que fala muito, linguaruda.

11 – O texto diz que Emília.
(X) É esperta e atrevida.
(   ) É triste e atrevida.

(   ) Não sabe nada da vida.


POEMA PARA SÉRIES INICIAIS: GRANDE OU PEQUENO? PEDRO BANDEIRA - COM GABARITO


Poema: GRANDE OU PEQUENO?

Se eu me meto na conversa,
para ouvir do que é que falam
os adultos e os parentes,
lá vem bronca da mamãe:
"Não, não, não! Já para fora!
Você é muito pequeno
para ouvir nossa conversa".



Mas seu eu faço algum errinho,
qualquer coisinha malfeita,
ou alguma reinação,
lá vem bronca do papai:
"Mas você não tem vergonha?
Isso é coisa que se faça?
Você já está muito grande
para coisas como essa"!

Afinal, QUEM É QUE EU SOU?
Ou eu sou muito pequeno,
ou sou grande até demais!
Ora, TENHAM PACIÊNCIA!
Deixem-me crescer em paz !

Pedro Bandeira. Mais respeito, eu sou criança!
São Paulo: Moderna, 1994 p. 9.
Entendendo o poema:

01 – Leia com atenção o poema e responda:
a)   Quantos versos há na primeira estrofe?
07 versos.

b)   Quantos versos há na segunda estrofe?
08 versos.

c)   E quantos versos há na terceira estrofe?
05 versos.

d)   Ao todo quantos versos há no poema?
Total de 20 versos.

e)   E quantas estrofes há no poema?
O poema possui 03 estrofes.

02 – Qual estrofe representa a conclusão do menino?
      É a terceira estrofe.

03 – O poema tem a finalidade de:
a)   /divertir.
b)   Emocionar.
c)   Informar.

04 – No verso: “Lá vem bronca da mamãe”, a palavra sublinhada significa:
a)   Conversa.
b)   Elogio.
c)   Advertência.

05 – No trecho: “— Mas você não tem vergonha?” o travessão indica:
a)   Uma emoção.
b)   Uma fala.
c)   Um pensamento.

06 – E o que indica o ponto de interrogação no trecho acima?
      Indica uma pergunta.

07 – Você concorda com título ou qual deveria ser na sua opinião?
      Resposta pessoal do aluno.