terça-feira, 5 de setembro de 2017

FILME: SHREK 2 - ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DA INTERTEXTUALIDADE - COM GABARITO

INTERTEXTUALIDADE NO FILME: SHREK 2


INTERTEXTUALIDADE
        A intertextualidade é o processo de incorporação de um texto em outro.

SHREK  INTERTEXTUALIDADE COM “A PRINCESA E O SAPO”
        Os reis de Tão Tão Distante, pais de Fiona, chamam a filha e seu marido para o castelo, após saberem que ela se casou. Porém, ao chegarem lá, os pais não se agradam da escolha da filha, pois era pra ela se casar com o Príncipe Encantado e assumir a forma de humana. Na verdade, foram os pais de Fiona que pediram à Fada Madrinha da filha para que ela virasse ogro até se casar. Então o rei paga ao Gato de Botas para ele matar Shrek. Porém o gato acaba virando amigo deles e tudo dá errado. Então a Fada, o rei e o Príncipe tentam de tudo para que Fiona largasse Shrek e casasse com o Príncipe, mas não conseguem. O Rei acaba permitindo que a filha continuasse com Shrek. A Fada irritada transforma o Rei em sapo para sempre. Neste filme, a Dragão Fêmea tem trigêmeos, uma espécie de draburros, burros que tem asas de dragão e cospem fogo.

INTERTEXTUALIDADE COM: “CHAPEUZINHO VERMELHO”

        "No clipe, além do prazer visual, ao flagrar o rosto aterrorizado de Chapeuzinho Vermelho que foge, ao ser recebida por Shrek e Fiona -- esquecendo sua cesta com um par de coxas de frango assadas que seria, mais tarde, saboreado pelos ogros"

INTERTEXTUALIDADE EM: “O GATO DE BOTAS”

        O Gato de Botas foi contratado para destruir Shrek, a mando do Rei Harold, pois Harold queria que, sua filha (a Princesa Fiona) se casasse com o Príncipe Encantado. Após um confronto com Shrek e o Burro, o Gato de Botas decide se unir aos dois. Dono de um impagável sotaque espanhol (e um humor até certo ponto sarcástico), o Gato de Botas decide ir com Shrek e o Burro até a fábrica de poções da Fada Madrinha, para mudar a aparência de Shrek através de magia. No local, eles conseguem enganar o recepcionista, e quando entram na "Sala de Poções", o Gato de Botas escala as prateleiras até conseguir alcançar a poção de beleza que seu amigo, Shrek, deseja. Depois de fugirem da fábrica, o trio (Shrek, Burro e Gato de Botas) acaba em um casebre no meio da floresta, e Burro e Shrek, já sob efeito da poção ingerida, se transformam, respectivamente, em um alazão e em um homem.
        O Gato de Botas, acompanha os amigos até o castelo dos pais de Fiona (Rei Harold e Rainha Lilian), para que o ogro, agora em forma humana, se reconcilie com a esposa.

SHREK, O ANTI-HERÓI
        O filme “Shrek” é um conto de fadas remodelado e inovador, que tem como argumento satirizar os contos de fadas, onde mostra personagens fictícias como se vivessem na nossa época onde a procura pela felicidade através da beleza é notória, assim como a luta entre classes sociais, a falta de carácter de algumas personagens e principalmente o romance entre duas novas personagens de carácter anti-heróico.
        O sucesso deste filme de animação deve-se principalmente à interatividade que se estabelece com o receptor, à intertextualidade com contos tradicionais da cultura ocidental, aos contos de fadas presentes no filme e ainda à fusão de horizontes e expectativas do emissor e receptor da mensagem fílmica. A criatividade das personagens e os elementos inteligentes da história fazem com que as crianças, os jovens e os adultos se divirtam, uma vez que os produtores exploram a cultura pop para agradar além das crianças, o público adolescente e a muitos adultos que sabem apreciar o enredo, a técnica e o dinamismo do guião apresentado.
        O filme começa como um livro de conto de fadas fechado, uma abertura clássica dos contos de fadas tradicionais e o ogro, Shrek a ler um conto de fadas. As páginas são folheadas e a leitura acaba. Começa com: “era uma vez uma linda princesa mas havia um terrível feitiço sobre ela que só poderia ser quebrado pelo primeiro beijo do seu amor. Foi trancada num castelo, guardada por um terrível dragão que cuspia fogo. Muitos bravos cavaleiros tentaram libertá-la desta horrível prisão mas ninguém conseguiu. Ela esperou sob a guarda do dragão, no quarto mais alto da torre mais alta pelo seu verdadeiro amor e pelo primeiro beijo do seu verdadeiro amor.” Após isto começa a tocar uma outra música mais animada (dos Smash Mouth, banda de rock). Durante essa música, o ogro aparece a cuspir num lago e a arrotar. O espelho até parte quando este o olha. Só por este início, já é possível pensar que há uma certa intenção de chocar quem assiste o filme, pois são aspectos que não são veiculados em novelas, séries e outros filmes, uma vez que fazem parte da intimidade das pessoas. Entretanto neles, o receptor reconhece-se, de modo a que os seus valores contraditórios são incorporados, de uma certa forma.
        Contar histórias às crianças é uma tradicional atividade familiar. Estas podem ser criadas no momento ou lidas através de contos tradicionais livros de contos e fábulas, sendo essas histórias por exemplo a Branca de Neve, Pinóquio, Rapunzel, o Gato de Botas, os Três Porquinhos e outros memoráveis contos infantis que mudam de carácter dependendo de quem conta e do tom com que a apresentação acontece. Este filme é portanto uma leitura metafórica dos filmes infantis clássicos dentro do próprio filme. Acaba ainda com o feio Shrek que se casa com a bela princesa Fiona, de modo a que o conto de fadas às avessas teve o seu final imperfeitamente perfeito.
        Ao nível da análise das personagens podemos dizer que estas têm traços psicológicos, virtudes/defeitos e atitudes que podem ser reconhecidas nos humanos. Shrek é um ogro verde, feio e mal cheiroso que, solitário, vive a sua vida no pântano, apavorando a vizinhança. Fiona é uma princesa inteligente, doce, frágil e amigável mas uma é também uma mulher moderna, forte e conflituosa. O Burro, é uma personagem cómica, na medida em que fala, canta, dança e não para quieto. É também o mais fiel amigo de Shrek. No núcleo dos vilões está o Lord Farquaad, personagem pequena, franzina, cabeçuda, vaidosa e covarde.
        Em síntese podemos afirmar que estamos perante uma intertextualidade explícita, hetero autoral, nos diferentes contos de fadas e exoliterária. Neste conto de fadas às avessas é possível ainda afirmar que há uma intertextualidade entre o filme e a vida real, havendo uma clara crítica social implícita nele, com o recurso quer à imagem das personagens, quer à animação através da banda sonora e também da animação dos desenhos animados.
ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DA INTERTEXTUALIDADE DO FILME SHREK 2

1 – Sempre que um texto faz alusão, cita ou dialoga com outro chama-se?
      Intertextualidade.
2 – O filme é uma narrativa que resulta das divergências que quais linguagens?
      Verbal, visual.
3 – Que elementos narrativos aparecem no filme?
      Falas, personagens, cenário, sonorização e trilha sonora.
4 – “No clipe, além do prazer visual, ao flagrar o rosto aterrorizado de Chapeuzinho Vermelho que foge, ao ser recebida por Shrek e Fiona – esquecendo a cesta com que dentro?
      Com um par de coxas de frango assados que seria, mais tarde, saboreado pelos ogros.
5 – O gato de Botas foi contratado para destruir Shrek, a mando de quem?
      (   ) Da Fada Madrinha.
      (X)  Do Rei Harold.
      (   ) Da Rainha Lilian.
      (   ) Do Príncipe Encantado.
6 – Em que momento Shrek transforma em forma humana e se reconcilie com a Fiona?
      Após ingerir a poção da beleza na fábrica de poções da Fada Madrinha.
7 – O filme “Shrek” é um conto de fadas remodelado e inovador, que tem como argumento satirizar os contos de fadas, onde mostra que tipos de personagens?
      (   ) Coadjuvantes.
      (   ) Figurantes.
      (   ) Verdadeiros.
      (X)  Fictícios.
      (   ) Históricos.
8 – Este filme é uma leitura metafórica dos filmes infantis clássicos dentro do próprio filme e como acaba?
      Acaba ainda com o feio Shrek, que se casa com a bela princesa Fiona, de modo a que o conto de fadas as avessos teve o seu final imperfeitamente perfeito.
9 – Ao nível da análise das personagens podemos dizer que estas têm traços psicológicos, virtudes/defeitos e atitudes que podem ser reconhecidas nos humanos. Caracterize os seguintes personagens:
      Shrek:
      É um ogro verde, feio e mal cheiroso, solitário, vive no pântano apavorando a vizinhança.
      Fiona:     
      É uma princesa inteligente, doce, frágil, amigável, mas também uma mulher moderna, forte.
      Burro:
      É uma personagem cômica, na medida em que fala, canta, dança e não para quieto. Amigo fiel de Shrek.
10 – Escreva um pequeno resumo do filme Shrek 2. (Mínimo 10 linhas).
      Resposta pessoal do aluno.


Um comentário: