quinta-feira, 7 de setembro de 2017

MÚSICA: ILU-AYÊ (TERRA DA VIDA) - COM INTERPRETAÇÃO/GABARITO

   ILU-AYÊ (TERRA DA VIDA)



Ilu-Ayê, Ilu-Ayê, Odara
Negro cantava na nação nagô
Depois chorou lamento de senzala
Tão longe estava de sua Ilê-Ayê
Tempo passou ôô
E no terreirão da casa-grande
Negro diz tudo que pode dizer
É samba, é batuque, é reza
É dança, é ladainha
Negro joga capoeira
E faz louvação à rainha

Hoje
Negro é terra, negro é vida
Na mutação do tempo
Desfilando na avenida
Negro é sensacional
É toda a festa do povo
É o dono do carnaval.
                                        REIS, Norival; CABANA. Illu-Ayê. Intérprete: Mônica Salmaso In:
                                               Mônica Salmaso. Voadeira. São Paulo, Eldorado 1999, 1 CD.

   1)     Sobre o que trata a letra da canção?
Sobre a condição dos negros escravizados que foram trazidos da África para o Brasil.

   2)      No texto lido, há a marcação de quatro momentos temporais distintos, que dizem respeito ao processo por que passaram os negros trazidos da África para trabalhar como escravos no Brasil. Identifique as palavras ou frases que indicam a passagem do tempo.
As palavras ou frases que indicam a passagem do tempo são “depois”; “o tempo passou ôô” e “hoje”.

    3)      Descreva os quatro momentos temporais presentes no texto.
Os quatro tempos são: Um passado muito distante (remoto), em que os negros “Cantavam”; um passado distante, quando os negros, já no Brasil, lamentavam sua situação; um passado menos distante (ou mais próximo), em que os negros se organizam no “terreirão da casa-grande” para celebrar sua cultura; e o presente, em que o negro, já organizado, mostra todo seu valor ao desfilar no carnaval.

   4)      Identifique os verbos usados par expressar as ações ocorridas em cada um desses quatro tempos.
Passado muito distante: “cantava” (com sentido de ação recorrente, prolongada); passado distante: “chorou” e “estava”; passado menos distante: “diz” , “é”, “joga”, “faz”; presente: “é”; “desfilando”.



Nenhum comentário:

Postar um comentário