quinta-feira, 31 de agosto de 2017

OS DEZ MANDAMENTOS DA INTERPRETAÇÃO TEXTUAL

OS DEZ MANDAMENTOS DA INTERPRETAÇÃO TEXTUAL

        Caro estudante, a leitura de um texto não é um mero ato de decifrar símbolos.        O ato de ler envolve não apenas a decodificação da mensagem, mas também a interação com o texto, produzindo sentidos durante a leitura. É nesse processo que se estabelece a interpretação textual, habilidade muito exigida pelo Enem e a chave para um bom resultado nesse exame. Muitas vezes, os elementos necessários para a resposta certa de uma questão encontram-se no próprio enunciado e, por nervosismo ou açodamento, o candidato não os percebe e erra. Faltam-lhe hábito de leitura e discernimento para enfrentar as questões com desembaraço e eficiência.

        Para interpretar bem um texto, o candidato precisa tirar o maior rendimento possível da leitura. O Enem é elaborado nessa perspectiva, pois a competência leitora é o que mais se exige do candidato.
        Sabe-se que não existe fórmula mágica para garantir uma boa interpretação de texto. Ler qualitativamente e manter-se atualizado acerca dos fatos nacionais e internacionais é um excelente exercício. O Enem também demanda a capacidade de ler gráficos, imagens, mapas e tabelas e de extrair desses elementos os dados para responder à certas questões. Mas a leitura do texto literário representa um desafio maior, naturalmente por ter uma linguagem própria, que exige sensibilidade e angústia especiais do candidato. Por isso é fundamental acostumar-se a ler textos literários em prosa e em versos a fim de aguçar a percepção e a sensibilidade. Apresentamos a seguir os dez mandamentos da interpretação textual elaborados pelo estudioso da nossa língua e gramático Evanildo Bechara.

Os dez mandamentos para análise de textos.

1 – Ler duas vezes o texto. A primeira para tomar contato com o assunto; a segunda para observar como o texto está articulado, desenvolvido.

2 – Observar que um parágrafo em relação ao outro pode indicar uma continuação ou uma conclusão ou, ainda, uma falsa oposição.

3 – Sublinhar, em cada parágrafo, a ideia mais importante (tópico frasal).

4 – Ler com muito cuidado os enunciados das questões para entender direito a intenção do que foi pedido.

5 – Sublinhar palavras como: erro, incorreto, correto, etc. Para não se confundir no momento de responder a questão.

6 – Escrever, ao lado de cada parágrafo ou de cada estrofe, a ideia mais importante contida neles.

7 – Não levar em consideração o que o autor quis dizer, e sim o que ele disse, escreveu.

8 – Se o enunciado mencionar tema ou ideia principal, deve-se examinar com atenção a introdução e ou a conclusão.

9 – Se o enunciado mencionar argumentação, deve preocupar-se com o desenvolvimento.


10 – Tomar cuidado com os vocábulos relatores (os que remetem a outros vocábulos do texto: pronomes relativos, pronomes pessoais, pronomes demonstrativos, etc.).

EXERCÍCIOS SOBRE ESTRUTURA DAS PALAVRAS - COM GABARITO

EXERCÍCIOS  SOBRE ESTRUTURA DAS PALAVRAS

1. Assinale a opção em que há erro na identificação do elemento mórfico grifado:

a) compost
as: desinência de feminino;
b) 
quadrar: radical;
c) adot
ei vogal temática;
d) parec
eram: vogal temática;
e) influência: desinência de feminino.

2. Vocábulo onde existe desinência de gênero:

a) segredo;
b) curiosidade;
c) força;
d) verbo;
e) alheia.

3. Assinale a alternativa sem desinência temporal:

a) aplaudias;
b) acordou;
c) faltarás;
d) vivam;
e) cobrasses.

4. Na língua portuguesa é o elemento que contém o significado básico da palavra:

a) prefixo
b) tema
c) radical
d) desinência
e) Vogal temática

5.  Assinalar a alternativa correta. Na palavra “
EMPEDRAMENTO”:

a) o sufixo é ENTO
b) o prefixo é EMPE
c) o tema é PEDRA
d) o radical é EMPED.
e) o prefixo é MENTO

6. Assinale a opção em que se caracterizou ERRONEAMENTE o elemento mórfico em destaque.

a) Ameaçam – 
M – desinência número-pessoal
b) Seja – 
A – desinência modo-temporal
c) Maneira – 
A – desinência de gênero.
d) Informe – 
IN – prefixo.
e) Pode – E – vogal temática

7. Os elementos mórficos sublinhados estão corretamente classificados nos parênteses, EXCETO em:

a)  aluna (desinência de gênero);
b)  estudássemos (desinência modo-temporal);
c)  reanimava (desinência número-pessoal);
d)  deslealdade (sufixo);
e)  agitar (vogal temática).

8. “Achava natural que as gentilezas da esposa CHEGASSEM a cativar um homem”. Os elementos constitutivos da palavra destacada estão analisados corretamente, EXCETO:

a)  CHEG – radical;
b) A – vogal temática;
c)  CHEGA – tema;
d)  SSE – sufixo formador de verbo;
e)  M – desinência número-pessoal.
9. O elemento mórfico sublinhado NÃO é desinência de gênero, que marca o feminino, em:

a) tristonha;
b) rico;
c) telefonema;
d) perdedoras;
e) loba.

10. Assinale a opção em que nem todas as palavras são de um mesmo radical:

a) noite, anoitecer, noitada
b) luz, luzeiro, alumiar
c) pedra – pedreira - Pedro
d) festa, festeiro, festejar
e) riqueza, ricaço, enriquecer



TEXTO LITERÁRIO / TEXTO NÃO LITERÁRIO E GÊNERO LITERÁRIOS- QUESTÕES OBJETIVAS COM GABARITO

TEXTO LITERÁRIO / TEXTO NÃO LITERÁRIO E GÊNERO LITERÁRIOS


Gênero literário é uma categoria de composição literária. A classificação das obras literárias pode ser feita de acordo com critérios semânticos, sintáticos, fonológicos, formais, contextuais e outros.
Na história, houve várias classificações de gêneros literários, de modo que não se pode determinar uma categorização de todas as obras seguindo uma abordagem comum. A divisão clássica é, desde a Antiguidade, em três grupos: narrativo ou épico, lírico e dramático.

O gênero lírico trata-se da manifestação de um eu lírico que expressa seu mundo interior, suas emoções, ideias e impressões. E um texto subjetivo, com predominância de pronomes e verbos em 1° pessoa e se faz, na maioria das vezes, em versos e explora a musicalidade das palavras.

Gênero Épico - O texto épico relata fatos históricos realizados pelos seres humanos no passado nas composições desse gênero há a presença de um narrador, que quase sempre conta uma história que envolve terceiros, os verbos e pronomes quase sempre estão na 3° pessoa, porque a história contada trata "dele" ou "deles" geralmente são longos e narram histórias de um povo e uma nação geralmente apresentam um tom de exaltação, de valorização de heróis e seus feitos, os poemas épicos intitulam-se epopeias um dos mais renomados poetas da nossa cultura é Luiz de Camões
Gênero Dramático enquanto o gênero épico valoriza seus heróis e feitos o gênero dramático expõe os conflitos da humanidade e a manifestação da miséria humana esse gênero foi feito para ser atuado e não narrado a historia e mostrada no palco o texto se desenvolve em diálogos, obrigando a uma sequência rigorosa das cenas e das relações de causa e consequência
 Gênero narrativos começaram a surgir no final da idade média, e começaram a ganhar mais prestigio com o declínio da epopeia, pode se dizer que todos os textos do gênero narrativo moderno são da família do gênero épico pois os dois se prestam a contar uma história ficcional qualquer um destes tem como enredo, as personagens, o espaço, o tempo, o ponto de vista da narrativa. Eles vão se diferenciar por critérios como origem, tamanho, tempo, espaço narrativo, número de personagens, etc.

Seguem, abaixo, modalidades textuais pertencentes ao gênero narrativo.

·   Romance: é um texto completo, com tempo, espaço e personagens bem definidos de carácter verossímil.
·         Fábula: é um texto de carácter fantástico que busca ser inverossímil (não tem nenhuma semelhança com a realidade). As personagens principais são animais ou objetos, e a finalidade é transmitir alguma lição de moral.
·       Epopeia ou Épico: é uma narrativa feita em versos, num longo poema que ressalta os feitos de um herói ou as aventuras de um povo. Três belos exemplos são Os Lusíadas, de Luís de Camões, Ilíada e Odisseia, de Homero.
·         Novela: é um texto caracterizado por ser intermediário entre a longevidade do romance e a brevidade do conto. O personagem se caracteriza existencialmente em poucas situações. Como exemplos de novelas, podem ser citadas as obras O Alienista, de Machado de Assis, e A Metamorfose, de Kafka.
·     Conto: é um texto narrativo breve, e de ficção, geralmente em prosa, que conta situações rotineiras, anedotas e até folclores (conto popular). Caracteriza-se por personagens previamente retratados. Inicialmente, fazia parte da literatura oral e Boccaccio foi o primeiro a reproduzi-lo de forma escrita com a publicação de Decameron.  
·   Crônica: é uma narrativa informal, ligada à vida cotidiana, com linguagem coloquial, breve, com um toque de humor e crítica.
·       Ensaio: é um texto literário breve, situado entre o poético e o didático, expondo ideias, críticas e reflexões morais e filosóficas a respeito de certo tema. É menos formal e mais flexível que o tratado. Consiste também na defesa de um ponto de vista pessoal e subjetivo sobre um tema (humanístico, filosófico, político, social, cultural, moral, comportamental, literário, etc.), sem que se paute em formalidades como documentos ou provas empíricas ou dedutivas de caráter científico.
O que um texto literário e um texto não literário?

     Texto literário é todo aquele que contém conotações, ou seja, pode ser entendido e interpretado por diversos sentidos diferentes como é o caso da poesia, conto, crônica, novela, romance, teatro, etc...
     Já o não literário contém denotações, ou seja, o que está escrito é no sentido de dicionários, não permite outras interpretações. É o caso das notícias de jornal, os manuais de instrução, as bulas de remédios, esta explicação que estou dando, etc...
RESUMO

 Bom os textos literários, são aqueles que, em geral, têm o objetivo de emocionar o leitor, e para isso exploram a linguagem conotativa ou poética. Em geral, ocorre o predomínio da função emotiva e poética.
Exemplos de textos literários: poemas, romances literários, contos, telenovelas.
Os textos não literários pretendem informar o leitor de forma direta e objetiva, a partir de uma linguagem denotativa. A função referencial predomina nos textos não-literários.
Exemplos de textos não-literários: notícias e reportagens jornalísticas, textos de livros didáticos de História, Geografia, Ciências, textos científicos em geral, receitas culinárias, bulas de remédio. E gêneros literários são a classificação das obras literárias que pode ser desde gênero lírico que nada mais e do que uma expressão do mundo inteiro das suas ideias e impressões , ou do gênero épico que nada mais é do que uma narrativa de um história que pode ser desde um povo as guerras, viagens e etc., também tem o gênero dramático que e mais usado em peças teatrais e que contam fatos tristes como a miséria humana e por último o gênero narrativo que é o mais novo e o mais comum hoje em dia que simplesmente retrata novelas e histórias fictícias.


Texto Literário:
Poemas, romances literários, contos, lendas etc.

Características:
Linguagem conotativa (sentido figurado);
Presença da Função Poética (centra-se na mensagem e preocupa-se com a arrumação das palavras);
Presença da Função Emotiva (expressa sentimentos);
Presença de figuras de linguagens;
Musicalidade.

Texto não literário:
 Reportagens, receitas, livros didáticos etc.

Características:
Linguagem denotativa (sentido real);
Predomínio da Função Referencial (linguagem direta centrada na informação);
Linguagem impessoal (sem traços particulares, escrita em 3ª pessoa);
Fatos reais


GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS
Segundo o site Wikipédia:

01) O gênero lírico na maioria das vezes é expresso pela:

a) Poesia.
b) Jornal.
c) Cinema.
d) Show.
e) Novela.


02) O gênero dramático geralmente é composto de textos que foram escritos para serem encenados em forma de:

a) Música.
b) Peça de teatro.
c) Poesia.
d) Novela.
e) Cinema.


03) Soneto é um texto em poesia com:

a) 10 versos.
b) 12 versos.
c) 13 versos.
d) 14 versos.
e) 11 versos.


04) A sátira é um texto de caráter ridicularizador, podendo ser também uma crítica indireta a algum fato ou a alguém. Segundo o site, um bom exemplo pode ser:

a) Canção.
b) História.
c) Piada.
d) Filme.
e) Teatro.


05) Geralmente a fábula tem por finalidade transmitir:

a) Alguma lição de moral.
b) Alguma crítica.
c) Alguma estória.
d) Alguma mensagem.
e) Algum elogio.


06) Segundo Aristóteles, os gêneros literários são geralmente divididos em:

a) Real, ficção e comédia.
b) Narrativo, lírico e dramático.
c) Circo, Novela e teatro.
d) Real, sonho e filme.
e) Narrativo, subjetivo e adjetivo.


07) No gênero narrativo, as narrativas utilizam-se de diferentes linguagens. São elas:

a) Gestual, conto e romance.
b) Verbal, novela e crônica.
c) Romance, epopeia e novela.
d) Crônica, fábula e conto.
e) Verbal, gestual e visual.


08) Leia abaixo um soneto de Gregório de Matos:

"Um soneto começo em vosso gabo;
Contemos esta regra por primeira,
Já lá vão duas, e esta é a terceira,
Já este quartetinho está no cabo.

Na quinta torce agora a porca o rabo:
A sexta vá também desta maneira,
na sétima entro já com grã canseira,
E saio dos quartetos muito brabo.

Agora nos tercetos que direi?
Direi, que vós, Senhor, a mim me honrais,
Gabando-vos a vós, e eu fico um Rei.

Nesta vida um soneto já ditei,
Se desta agora escapo, nunca mais;
Louvado seja Deus, que o acabei".

Assinale a alternativa incorreta:

a) A sátira é um gênero que pretende despertar o riso do público.
b) Além do divertimento, a sátira pretende moralizar a sociedade.
c) Podemos afirmar que este gênero é conservador.
d) O conservadorismo da sátira está no fato que pretende punir, através do ridículo, aqueles que transgridem as leis sociais.
e) A sátira é um gênero revolucionário que pretende abolir as instituições estabelecidas como a Igreja e a Monarquia.


09) Ainda sobre o soneto acima, assinale a alternativa incorreta:

a) O poeta faz uma brincadeira com as próprias regras do soneto.
b) O personagem é satirizado pois não tem nenhuma qualidade digna de louvor, por isso, compor o poema é algo penoso e difícil para o poeta.
c) O personagem é cheio de virtudes, o que tornar extremamente difícil fazer-lhe um elogio à altura de suas qualidades.
d) O personagem é vítima da sátira, pois pretende obter honrarias (no caso um soneto) em sua homenagem para as quais ele não é digno.
e) Ao ridicularizar o personagem, o poeta mantém uma posição conservadora, pois repõe a ordem social no lugar.


10) O gênero épico é formado por obras (em verso ou em prosa) de extensão maior, em que um narrador apresenta personagens envolvidas em situações e eventos. As grandes navegações portuguesas a partir do século XVI também foram representadas em versos escritos na literatura portuguesa do século XVI. Qual o nome mais importante dessa época na literatura portuguesa?

a) José Saramago
b) Eça de Queiroz
c) Luís Vaz de Camões
d) Carlos Drummond de Andrade
e) Paulo Leminski

11) (Enem 2011)  É água que não acaba mais

Dados preliminares divulgados por pesquisadores da Universidade Federal do Pará (UFPA) apontaram o Aquífero Alter do Chão como o maior depósito de água potável do planeta. Com volume estimado em 86 000 quilômetros cúbicos de água doce, a reserva subterrânea está localizada sob os estados do Amazonas, Pará e Amapá. Essa quantidade de água será suficiente para abastecer a população mundial durante 500 anos, diz Milton Matta, geólogo da UFPA. Em termos comparativos, Alter do Chão tem quase o dobro do volume de água do Aquífero Guarani (com 45 000 quilômetros cúbicos). Até então, Guarani era a maior reserva subterrânea do mundo, distribuída por Brasa, Argentina, Paraguai e Uruguai.
Época. Nº623. 26 abr. 2010.
Essa notícia, publicada em uma revista de grande circulação, apresenta resultados de uma pesquisa cientifica realizada por uma universidade brasileira. Nessa situação específica de comunicação, a função referencial da linguagem predomina, porque o autor do texto prioriza
a) as suas opiniões, baseadas em fatos.   
b) os aspectos objetivos e precisos.   
c) os elementos de persuasão do leitor.   
d) os elementos estéticos na construção do texto.   
e) os aspectos subjetivos da mencionada pesquisa.   
 Gabarito!
A função referencial é determinada pela situação do discurso: o emissor tem a intenção de informar, de referir, de descrever uma situação, um estado de coisas, um acontecimento. No artigo, há o objetivo de informar o leitor sobre a importância da dimensão do Aquífero Alter do Chão, assim, o autor faz uso da  linguagem mais objetiva e precisa, como se afirma em [B]. 

PROFESSORES LISTAM ASSUNTOS QUE PODEM SER TEMA DA REDAÇÃO DO ENEM

Professores listam  assuntos que podem ser tema da redação do Enem

Legado das Olimpíadas
Rio será sede das olimpíadas Foto: Guilherme Pinto / Agência O GloboFoto: Guilherme Pinto / Agência O Globo
A educadora Andrea Ramal, autora do livro 'Redação Excelente', aposta no tema, 
porque, além de ser uma questão de ampla discussão na sociedade, esta é a última
oportunidade de debatê-lo na prova antes que os jogos aconteçam. 
Uma sugestão é abordar exemplos concretos de outros países que já sediaram 
as olimpíadas.


Violência nos Estádios
Briga de torcidas Foto: Levi Bianco / Agência O GloboFoto: Levi Bianco / Agência O Globo
Professora de redação do Colégio Pensi, Carolina Pavanelli considera
a violência nos estádios um tema latente. Ela sugere que o candidato 
analise as causas dessa violência e utilize exemplos para fundamentar 
argumentos e propor soluções. Problematizar o assunto proposto e 
sugerir soluções são exigências da prova aos candidatos, previstas no
edital.

Liberdade de Expressão
Revista francesa foi alvo de atentado Foto: Agência O GloboFoto: Agência O Globo
"A lei garante liberdade de expressão, mas é legitimo publicar o que se 
pensa mesmo ferindo crenças alheias?" A educadora Andrea Ramal
destaca que, apesar de a questão ter vindo à tona devido a um fato 
internacional (o atentado à revista "Charlie Hebdo", na França), 
liberdade de expressão é tema recorrente. Por isso, pode aparecer 
no Enem.

Redução da maioridade penal
Redução da maioridade Foto: Marcos Alves / Agência O GloboFoto: Marcos Alves / Agência O Globo
O assunto é discutido no Congresso e nas ruas. Mas não se trata de 
um tema novo. Por isso, o estudante deve ter maturidade para 
dissertar a respeito, aposta Andrea Ramal. Segundo ela, é preciso
abordar a problemática que leva o menor ao crime. E não se deve
trazer convicções que firam direitos humanos, como defesa da pena
de morte.

Maus tratos aos animais
Maus tratos animais Foto: Gustavo Stephan / Agência O GloboFoto: Gustavo Stephan / Agência O Globo
Questão difundida nas redes sociais. A professora Carolina Pavanelli, 
do Pensi, aconselha os alunos a abordar o tema de maneira criativa,
falando não só sobre animais domésticos, mas também citando
tráfico de animais silvestres e as condições de abate a que são submetidos 
animais criados para consumo. Sempre se atendo ao texto referência.

Justiça no Brasil

27/10/2005 - Givaldo Barbosa - PA - Fotos do prédio do STF em Brasília. Foto: Givaldo Barbosa / Justiça no Brasil
Foto: Givaldo Barbosa / Justiça no Brasil

Em meio a crise política e casos de linchamento,
 Carolina Pavanelli, professora do Pensi, aposta 









que o tema "justiça" pode ser cobrado. Ela sugere que o candidato escreva sobre 
investigações de corrupção como a operação Lava-Jato, mas também a 
deturpação da ideia de 'justiça' por pessoas que tentam punir supostos 
criminosos com as próprias mãos.





MÚSICA: ETNIA - COM INTERPRETAÇÃO/GABARITO

 MÚSICA : ETNIA

                

Somos todos juntos uma miscigenação
E não podemos fugir da nossa etnia
Índios, brancos, negros e mestiços
Nada de errado em seus princípios
O seu e o meu são iguais
Corre nas veias sem parar
Costumes, é folclore é tradição
Capoeira que rasga o chão
Samba que sai da favela acabada
É hip-hop na minha embolada.

É o povo na arte
É arte no povo
E não o povo na arte
De quem faz arte com o povo.
Por trás de algo que se esconde
Há sempre uma grande mina de conhecimentos
E sentimentos.

Não há mistérios em descobrir
O que você tem e o que gosta
Não há mistérios em descobrir
O que você é e o que você faz.

Maracatu psicodélico
Capoeira da pesada
Bumba meu rádio
Berimbau elétrico
Frevo, samba e cores
Cores unidas e alegria
Nada de errado em nossa etnia.

                                      Composição de Chico Science e Lucio Maia.
                               In: Chico Science & Nação Zumbi. Afrociberdelia.
                                                                                Sony Music, 1996.

1 – A letra dessa música fala de algumas manifestações culturais folclóricas brasileiras. Você consegue identifica-las?
      Maracatu, capoeira, bumba meu boi, frevo, samba, embolada.

2 – A música também afirma que folclore é tradição. Mas, ao mesmo tempo, mistura estas manifestações tão tradicionais, como maracatu, bumba meu boi, frevo, samba, com outras bem atuais. Quais os trechos em que essa mistura aparece?
      “Bumba meu rádio / Berimbau elétrico / É hip-hop na minha embolada.

3 – Misturar o importado com o nacional, o antigo com o moderno para resultar em algo diferente. Isso lhe lembra alguma coisa?
      Educador, recorde com os alunos o conceito de “antropofagia” estudado anteriormente.

4 – A antropofagia foi um conceito que se difundiu durante os anos 1920 com o Modernismo. Mas e atualmente? Será que ainda existem movimentos ou manifestações artísticas com esta característica?
      Levante possibilidades do repertório de conhecimento dos alunos. Em seguida, explique que a letra que eles acabaram de ler é um exemplo disso. Uma mistura de diferentes influências culturais tanto brasileiras como estrangeiras junto com rimas variadas, utilizando instrumentos antigos e modernos, manufaturados e tecnológicos.