sexta-feira, 30 de abril de 2021

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA O 8º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL - COM GABARITO

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA O 8º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL - COM GABARITO

 Fonte da imagem: https://sites.google.com/site/pedagogia3oc/avaliacao

Leia o texto e responda à questão 01.

 Música: Azul da Cor do Mar

              Tim Maia

 Ah! Se o mundo inteiro me pudesse ouvir

Tenho muito pra contar, dizer que aprendi

E na vida a gente tem que entender

Que um nasce pra sofrer enquanto o outro ri

[...]

Disponível em:<https://www.letras.mus.br/tim-maia/48917/>. Acesso em: 17 dez. 2018. (adaptado)

 Habilidade

Reconhecer os usos da norma-padrão ou de outras variações linguísticas em um texto.

Questão 01

Em “E na vida a gente tem que entender/ Que um nasce pra sofrer enquanto o outro ri”, a palavra em destaque “pra” representa uma forma de linguagem

(A) sofisticada e correta.

(B) informal e coloquial.

(C) culta e simples.

(D) errada e fácil.


Leia o poema e responda à questão 02.

Poema: Retrato

Cecília Meireles

Eu não tinha este rosto de hoje,

assim calmo, assim triste, assim magro,

nem estes olhos tão vazios,

nem o lábio amargo.

Eu não tinha estas mãos sem força,

tão paradas e frias e mortas;

eu não tinha este coração

que nem se mostra.

 

Eu não dei por esta mudança,

tão simples, tão certa, tão fácil:

- Em que espelho ficou perdida

a minha face?

 

Disponível em:<https://www.pensador.com/textos_descritivos_de_cecilia_meireles/>. Acesso em: 17 out. 2019. 

Habilidade

Reconhecer marcas linguísticas em um texto do ponto de vista do léxico, da morfologia ou da sintaxe.

Questão 02

A autora realiza a descrição de um rosto, por meio de

(A) adjetivos.

(B) conjunções.

(C) interjeições.

(D) substantivos.

Leia o texto a seguir e responda à questão 03.

 Texto: Importância da vacinação

 A importância da vacinação vai muito além da prevenção individual. Ao se vacinar, você está ajudando toda a comunidade a diminuir os casos de determinada doença.

[...] Vacinas são substâncias que possuem como função estimular nosso corpo a produzir respostas imunológicas a fim de nos proteger contra determinada doença. Elas são produzidas a partir do próprio agente causador da doença, que é colocado em nosso corpo de forma enfraquecida ou inativada. Apesar de não causar a doença, as formas atenuadas e inativadas do antígeno são capazes de estimular nosso sistema imunológico.

[...]

Disponível em:<https://brasilescola.uol.com.br/saude-na-escola/importancia-vacinacao.htm>. Acesso em: 17 out. 2019. (adaptado)

Habilidade

Reconhecer os usos da norma-padrão ou de outras variações linguísticas em um texto.

A linguagem utilizada no texto é

(A) informal, com o uso incorreto da língua portuguesa.

(B) formal, seguindo a norma-padrão da língua portuguesa.

(C) científica, com termos específicos que apenas cientistas utilizam.

(D) regional, com variações linguísticas, características de uma região do país.


Leia o texto e responda à questão 04.

Poema: A namorada

                                Manoel de Barros

Havia um muro alto entre nossas casas.

Difícil de mandar recado para ela.

Não havia e-mail.

O pai era uma onça.

A gente amarrava o bilhete numa pedra presa por um cordão

E pichava a pedra no quintal da casa dela.

Se a namorada respondesse pela mesma pedra

Era uma glória!

Mas por vezes o bilhete enganchava nos galhos da goiabeira

E então era agonia.

No tempo do onça era assim.

Disponível em:<http://www.releituras.com/manoeldebarros_namorada.asp>. Acesso em: 17 out. 2019.

Habilidade

Localizar informação explícita em um texto.

Questão 04

O casal se comunicava com

(A) e-mail.

(B) bilhetes em pedras.

(C) os galhos de uma goiabeira.

(D) bolinhas de papel na árvore.

 

Leia o texto e responda à questão 05.

Biografia de Marie Curie

 Marie Skłodowska Curie (1867-1934) foi uma cientista e física polonesa naturalizada francesa, primeira mulher a ser admitida como professora na Universidade de Paris, que conduziu pesquisas pioneiras em todo o mundo no ramo da radioatividade. Foi a primeira mulher a ser laureada com um Prêmio Nobel e a primeira pessoa e única mulher a ganhar o prêmio duas vezes. [...]

As conquistas de Marie incluem a teoria da radioatividade (termo que ela mesma cunhou), técnicas para isolar isótopos radioativos e a descoberta de dois elementos, o polônio e o rádio. Sob a direção dela foram conduzidos os primeiros estudos sobre o tratamento de neoplasmas com o uso de isótopos radioativos. A cientista fundou os Institutos Curie em Paris e Varsóvia, que até hoje são grandes centros de pesquisa médica. Durante a Primeira Guerra Mundial, fundou os primeiros centros militares no campo da radioatividade.

[...]

Disponível em:<https://pt.wikipedia.org/wiki/Marie_Curie>. Acesso em: 21 out. 2019. (adaptado).

Habilidade

Estabelecer relações lógico-discursivas presentes no texto por meio de elementos de referenciação.

 

Questão 05

No trecho “[...] que conduziu [...]”, o termo destacado faz referência à

(A) “teoria”.

(B) “radioatividade”.

(C) “Universidade de Paris”.

(D) “Marie Skłodowska Curie”.

 

Leia o texto e responda às questões 07, 08 e 09.

Conto: As aventuras de Malazarte

                                           Clarice Lispector

Como o pai tinha morrido, a mãe dividira em pedaços a casa toda, dando-os a cada filho. A Pedro Malazarte coube uma porta. Ele pensou: com esta porta conquistarei o mundo. Realmente, em breve viu um urubu pousado num burro morto. Mais que depressa jogou a porta em cima deles – e como o urubu ficou manco, foi fácil pegá-lo. Para que queria ele um urubu? Lá disso sabia ele. E quando sentiu no ar o cheiro de um jantar magnífico, bateu à porta da casa de uma senhora, gulosa e sabida, que estava preparando para si mesma um banquete, escondido do marido que fora viajar. Malazarte foi irritadamente expulso pela sabidona e sua criada. Então, com o auxílio da porta encostada na parede, subiu ao teto e de lá viu embaixo comida boa para valer. Tinha leitão assado, peru, e tudo o mais que delicia um homem. Foi quando o marido chegou, inesperadamente. A mulher matreira lamentou-se: se eu soubesse que você vinha eu preparava coisa boa de se comer, mas como não te esperava só tenho carne-seca, feijão ralo e farinha morrinhenta...

Aí Malazarte apresentou-se de novo com o seu urubu, sabendo que o marido não lhe recusaria um pouco do minguado jantar. Mal começara a comer quando Malazarte deu, bem disfarçado, uma cutucada no urubu, que gemeu.

— Por que é que ele está se lamentando?, perguntou o dono da casa.

— Está me dizendo umas novidades, respondeu Malazarte. O meu urubu, ao contrário dos outros, fala e está me contando que sua mulher lhe guardou um leitãozinho assado de surpresa...

A mulher teve medo de Malazarte e disse: — Oh, urubu danado, estragou a surpresa! Tenho mesmo esse leitãozinho para você...

Daqui a pouco o urubu gemeu de novo, o que fez Malazarte dizer:

— Ô urubu intrometido, para de me contar?

— O que é que ele está contando?

— Que tem peru recheado.

— Meu maridinho, essa era outra surpresa que o urubu desaforado estragou. Mas coma um pouco deste peru. E tenho doces, frutas, bebidas...

Como era 1o de abril, dia de se enganar os outros, Malazarte vendeu falsamente o precioso urubu ao dono da casa para lhe servir de espião.

Bem alimentado, Malazarte prosseguiu caminho com a porta debaixo do braço.

Moral: mais vale uma porta desvalida e esperteza de Malazarte, que uma casa inteira para quem não tem arte.

LISPECTOR, Clarice. Como nasceram as estrelas. Rio de Janeiro: Rocco, 1999. p. 13.

Habilidade

Localizar informação explícita em um texto.

Questão 07

A mulher, dona da casa, já conhecia Pedro Malazarte antes do incidente do urubu. Isso se constata em:

(A) “Como era 1o de abril, dia de se enganar os outros, Malazarte vendeu falsamente o precioso urubu ao dono da casa para lhe servir de espião.”

(B) “Aí Malazarte apresentou-se de novo com o seu urubu, sabendo que o marido não lhe recusaria um pouco do minguado jantar.”

(C) “Então, com o auxílio da porta encostada na parede, subiu ao teto e de lá viu embaixo comida boa para valer. “

(D) “A mulher matreira lamentou-se: se eu soubesse que você vinha eu preparava coisa boa de se comer [...]”

 

Habilidade

Reconhecer marcas linguísticas em um texto do ponto de vista do léxico, da morfologia ou da sintaxe.


Questão 08

O pretérito imperfeito do subjuntivo é utilizado na expressão de desejos e probabilidades. O uso desse tempo verbal está presente em:

(A) “Tenho mesmo esse leitãozinho para você...”

(B) “Se eu soubesse que você vinha eu preparava coisa boa de se comer [...]”

(C) “Como o pai tinha morrido, a mãe dividira em pedaços a casa toda, dando-os a cada filho.”

(D) “Mais que depressa jogou a porta em cima deles – e como o urubu ficou manco, foi fácil pegá-lo.”

Habilidade

Reconhecer elementos da narrativa (personagem, enredo, tempo, espaço ou foco narrativo) em um texto.


Questão 09

O acontecimento que dá origem à aventura de Malazarte é

(A) a chegada inesperada do marido da cozinheira.

(B) o encontro com um burro e um urubu na estrada.

(C) a reação da mulher ao expulsar o rapaz de sua casa.

(D) o recebimento da herança após a morte do pai do rapaz.

 

Leia o texto e responda às questões 10 e 11.

Texto: O Escaravelho do Diabo

Lucia Machado de Almeida

Cora O’Shea quase desmaiou quando soube que o filho morrera envenenado. A hipótese de suicídio ficou logo afastada. Clarence, apesar de egoísta e insatisfeito, gostava imensamente da vida e jamais faria uma coisa dessa.

— O cianeto age em segundos e preciso saber se o rapaz comeu ou bebeu alguma coisa antes de cair no chão, disse o Inspetor.

Cora pensou algum tempo e exclamou aflita:

— A cápsula! A cápsula!

E contou que Clarence se achava muito gripado, ligeiramente febril, e que ela mandara aviar para ele uma velha fórmula com aspirina. Tomara o remédio naquela sala mesmo, à vista de todos.

O rapaz já havia ingerido duas cápsulas, uma pela manhã, outra à tarde, sem que nada houvesse acontecido. [...]

Ainda havia três cápsulas dentro dela. Da caixinha, se desprendia um vago odor de amêndoas amargas, característico do cianeto. Examinando as três cápsulas, constatou que elas realmente continham aspirina.

— O veneno foi depositado apenas numa delas, disse ele. A fórmula fora preparada na maior e mais afamada drogaria da cidade. [...]

Sentada numa poltrona forrada de pano escocês, achava-se uma pequena mulher, extremamente feminina, de ar decidido e frágil ao mesmo tempo. A moça trazia um lenço na mão e de vez em quando enxugava uma lágrima.

— Miss Verônica, disse Cora apresentando-a aos dois homens. Ao vê-la, Alberto sentiu uma estranha emoção. O coração bateu-lhe apressado e ele se viu subitamente transportado para um mundo de irrealidade e sonho. Não saberia dizer se era bonita ou feia, morena ou loura, gorda ou magra, tal a perturbação em que se achava.

Como que magnetizado, ficou olhando para a pequena criatura sentada na poltrona. Sem perceber o que se passava com o estudante, o Inspetor examinou cuidadosamente todos os detalhes do quarto de Clarence.

— Um besouro! — exclamou Alberto de repente, segurando uma caixinha aberta com um pequeno escaravelho negro fincado numa rolha, em cima de uma cômoda.

A caixa era exatamente igual à que Hugo recebera na véspera de sua morte.

— Seu filho era entomologista10, minha senhora?

— Não. Clarence recebeu isso ontem de manhã, pelo correio.

Deve ser alguma brincadeira...

Alberto sentiu um arrepio percorrer-lhe o corpo. Em sua imaginação misturavam-se duas cabeleiras vermelhas, a de “Foguinho” com a de Clarence, e dois besouros negros, ambos fincados numa rolha.

— Pode ceder-me esse inseto? perguntou Alberto a Mrs. O’Shea. Estou fazendo coleção deles.

ALMEIDA, Lúcia Machado. O Escaravelho do Diabo. São Paulo: Ática, 1985. p.25-26. 32.

Habilidade

Reconhecer elementos da narrativa (personagem, enredo, tempo, espaço ou foco narrativo) em um texto.

 

Questão 11

O trecho transcrito se passa

(A) na delegacia.

(B) na casa de Alberto.

(C) no funeral de Clarence.

(D) na casa da Mrs. O’ Shea.

Habilidade

Estabelecer relações lógico-discursivas presentes no texto por meio de elementos de referenciação.


Questão 12

Em “ela mandara aviar para ele uma velha fórmula com aspirina”, o termo em destaque faz referência à

(A) Clarence.

(B) Mrs. O’ Shea.

(C) Miss Verônica.

(D) farmacêutica.

 

 

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA O 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL - COM GABARITO

 AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA PARA O 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 


Fonte da imagem - https://www.google.com/url?sa=i&url=http%3A%2F%2Fpensandomelhor.blogspot.com%2F2013%2F08%2Favaliacao.html&psig=AOvVaw0KDfItOCbvPK0ffycB6erq&ust=1619911271647000&source=images&cd=vfe&ved=0CAIQjRxqFwoTCND-k7yRp_ACFQAAAAAdAAAAABAJ

D 02 – Inferir informação em texto verbal.

 Leia o texto para responder a questão 01.

 Poema: Gato pensa?

 Dizem que gato não pensa

Mas é difícil de crer.

Já que ele também não fala

como é que se vai saber?

 

A verdade é que o Gatinho,

quando mija na almofada,

vai depressa se esconder:

sabe que fez coisa errada.

 

E se a comida está quente,

ele, antes de comer,

muito calculadamente,

toca com a pata pra ver.

 

Só quando a temperatura

da comida está normal,

vem ele e come afinal.

 

E você pode explicar

como é que ele sabia

que ela ia esfriar?

 

Fonte: “Gato Pensa?”, Ferreira Gullar. Disponível em: http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_infantil/ferreira_gullar.htm.Acesso em:10 de abril de 2020.

QUESTÃO 01 - No verso “E você pode explicar”, o poeta conversa com

(A) o gato.

(B) o leitor.

(C) a almofada.

(D) a comida.

 

Leia o texto para responder a questão 02.

Texto: Pedro Malazarte

 Pedro Malazarte comprou uma panelinha nova para cozinhar quando viajasse. Na primeira viagem que fez levou a panelinha e estava preparando seu almoço, já abrindo a fervura, quando ouviu o tropel de um comboio que carregava algodão. Mais que depressa cavou um buraco, colocou todas as brasas e tições, cobrindo de areia, e pôs a panela por cima, fervendo. Os comboieiros que iam passando ficaram admirados de ver uma panelinha ferver sem haver fogo.

Pararam, discutiram e perguntaram se Malazarte queria vender por um bom dinheiro. O sabidão fez-se de muito rogado, dizendo ter adquirido aquele objeto em terras distantes, mas terminou vendendo a panelinha. Os comboieiros seguiram jornada, muito satisfeitos da compra que no outro dia verificaram ser mais um logro do rapaz. [...]

CASCUDO, Luís da Câmara. Contos tradicionais do Brasil. 12. ed. São Paulo: Global, 2003. p.126.

 

QUESTÃO 02 - A intenção de Pedro Malazarte ao esconder o fogo que fazia a panelinha ferver era

(A) agradar os comboieiros.

(B) conservar a comida quente.

(C) esconder a comida dos outros.

(D) impressionar os viajantes.

 

Leia atenciosamente o texto abaixo e depois responda a questão 03.

 Texto: Boca-de-lobo e os mil porquinhos

 Esta é uma história de lobo. Ou melhor: de boca-de-lobo. Mas não é aquela boca enorme, que engoliu a vovozinha. A nossa boca-de-lobo é, na verdade, bem boazinha.

Ela mora na cidade, encostada na calçada. E a única coisa que engole, é água da enxurrada.

O problema é que aqui, onde mora a boca-de-lobo, moram também mil porquinhos que jogam lixo no chão. Os porquinhos jogam lata, garrafa, papel e jornal. E a pobre boca-de-lobo, que já tem que engolir tanta água, engole também esse lixo e começa a passar mal.

Então, quando a chuva aumenta e cai, cai sem parar, a boca-de-lobo, aqui embaixo, já começa a reclamar: “Alto lá! Eu não quero mais nada, nem mesmo um golinho d’água. Os porquinhos me deram lixo, agora eu estou lotada.”

E com boca-de-lobo fechada, a água não tem para onde ir, vai entrando pelas casas e começa a destruir. Pra história não terminar com todo mundo nadando, o jeito é contar pros porquinhos que cidade não é chiqueiro. Lugar de lixo é na lixeira, não é entupindo bueiro. Porque água na rua, minha gente, acaba virando enchente!

 Boca-de-lobo e os mil porquinhos na história da enchente. Encarte da SLU-PBH

 

QUESTÃO 03 - Quem são os mil porquinhos dessa história?

(A) As pessoas que jogam lixo no chão.

(B) As pessoas que vivem em chiqueiros.

(C) Personagens que engolem vovozinhas.

(D) Personagens que têm boca enorme.

 

Leia o texto abaixo para responder a questão 04.

 Gênero: Carta

 Belo Horizonte, 08 de agosto de 2007.

Ana Carla:

Que saudades!!!

Há quanto tempo não nos vemos... Fiquei muito feliz com seu telefonema na semana passada!!! Você se mostrou radiante por estar lecionando para crianças do primeiro ciclo!!! Tenho certeza de que seus alunos também devem adorar seu jeito meigo de ser.

Pensando em você e nos seus alunos, envio junto com esta carta um livro. É um presente. Gostaria que lesse O curumim que virou gigante, de Joel Rufino dos Santos. As ilustrações, de Lúcia Lacourt, enriquecem o texto e são simplesmente maravilhosas!!! Que livro sensível!!!

É uma lenda. Com uma narrativa leve, explica-se o surgimento do Corcovado no Rio de Janeiro. O Curumim que virou gigante nos fala do desejo do indiozinho Turamã de ter uma irmã. E de tanto querer, ele passa a viver como se realmente tivesse uma irmã. Em tudo o que faz, ele se lembra dela e traz presentes para agradá-la. Até que um dia, acontece algo que faz Turamã sair de sua aldeia mundo afora... O final é surpreendente.

Espero que você goste do livro e o use em suas aulas com as crianças.

Com carinho,

Luciana Cassimiro

 

Livros e cartas como um presente. Kit de literatura afro-brasileira. 2007, p. 116.

 QUESTÃO 04 - De acordo com esse texto, Ana Carla é uma

(A) criança.

(B) escritora.

(C) indiazinha.

(D) professora.

 Leia com atenção o texto abaixo para responder a questão 05.

 Texto: Cuidado

Depois da chuva, o menino vestiu uma roupa azul muito bonita e saiu todo alegre para brincar.

A mãe avisou:

— Cuidado! A roupa é nova, não vá se sujar.

Pouco depois o menino voltou com a roupa suja de lama. A mãe, zangada, falou:

— Mas você não sabia que a roupa estava limpinha? Que roupa custa dinheiro? Será que você não sabe que menino educado não fica deste jeito?

— Tudo isso eu sei. O que eu não sabia é que o carro ia passar bem na poça d’água e jogar lama em mim.

 

QUESTÃO 05 - O menino ficou sujo de lama porque

(A) a mãe ficou zangada.

(B) era desobediente.

(C) era mal educado.

(D) o carro jogou lama nele.

 Leia o texto para responder a questão 06.

 Texto: O porco e os espinhos

 Tem sempre uma pedra no caminho do amigo porco-espinho. Ele corre no mato, até se diverte, dá susto nos outros e tem namorada. Mas, coitadinho, não pode dar abraço apertadinho.

PIMENTEL, Luís. Novas ideias. São Paulo: Brasil.

 

QUESTÃO 06 - O porquinho não pode dar um abraço apertado porque ele

(A) corre no mato.

(B) dá susto nos outros.

(C) tem namorada.

(D) tem espinho.

 

Leia o texto abaixo para responder a questão 07.

 Texto: O velho crocodilo    

 

Amanhã vai casar-se o velho crocodilo.  

Pensa e pensa sentado na margem do Nilo;

Pra noiva crocodila, o que dar de presente?

Talvez uma escova, uma fita ou um pente.

Pras pestanas? Pulseiras? Ou talvez um anel?

Finalmente decide: será um chapéu.

 

E sentado assim, lá na margem do Nilo,

Pensa em quem convidar o Senhor crocodilo.

Pensa: doce ou salgado será o banquete?

E quanto à sobremesa: quem sabe sorvete?

Ou quem sabe salame? Ou arenque do mar?

Pensa velho crocó: como é duro casar!

 Di-Versos hebraicos. Trad. Tatiana Belinky; Mira Perlow. São Paulo: Scipione, 1991.


QUESTÃO 07 - Segundo esse texto, o velho crocodilo

(A) desistiu de casar.

(B) estava indeciso.

(C) fez a lista de compras.

(D) foi convidar um amigo.



AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA O 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL COM DESCRITORES - GABARITADA

 AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA PARA O 6º ANO COM DESCRITORES

Fonte da imagem - https://www.google.com/url?sa=i&url=https%3A%2F%2Feducador.brasilescola.uol.com.br%2Forientacoes%2Fa-avaliacao-aluno.htm&psig=AOvVaw0KDfItOCbvPK0ffycB6erq&ust=1619911271647000&source=images&cd=vfe&ved=0CAIQjRxqFwoTCND-k7yRp_ACFQAAAAAdAAAAABAP

D05 – Identificar o tema ou assunto de um texto.

 Leia o texto abaixo para responder a questão 1.

 Texto: Floresta de fósseis

 Parque ambiental no Tocantins reúne plantas mais antigas que os dinossauros

Fósseis. Quando falamos deles, logo imaginamos dinossauros e animais que viveram há milhares de anos. Mas, além dos bichos, as plantas também podem virar fósseis! Na verdade, existem florestas inteiras de fósseis e uma delas fica bem aqui no Brasil, na cidade de Filadélfia, no Tocantins. E o melhor: você pode visitá-la!

O Monumento Natural de Árvores Fossilizadas é um parque ambiental que reúne árvores petrificadas de 250 milhões de anos. Lá, o visitante encontra fósseis de troncos e samambaias gigantes que viveram em uma época em que os continentes ainda não tinham se separado e os dinossauros nem sonhavam em existir.

Em breve, o parque vai ganhar um museu contando toda a história das florestas pré- históricas que existiam ali. Enquanto isso, é possível marcar visitas em grupo ligando para lá. O acesso é um pouco complicado, feito de carro pela rodovia TO 222, mas, com certeza, a visita compensa!

 Disponível em: http://chc.cienciahoje.uol. com.br/floresta-de-fosseis/. Acesso em: 19 dez. 2014.

 QUESTÃO 01 - Qual é o assunto desse texto?

(A) A construção de um novo museu em Tocantins.

(B) A época em que os continentes estavam unidos.

(C) A floresta fossilizada em Tocantins.

(D) A pesquisa de fósseis de dinossauros.

 Leia o texto abaixo para responder a questão 02.

 Texto: Meu querido blog

 O diário do século XXI é on-line, para a galera poder bisbilhotar. Os melhores diários do passado tinham um pequeno cadeado. A moça escrevia seus sentimentos mais íntimos no caderno e passava a chave para que ninguém ficasse sabendo o que lhe ia pela alma. O blog também é um diário, só que com a intimidade virada de cabeça para baixo: é colocado na internet para ser bisbilhotado por todo mundo. Escrever um diário on-line exige desprendimento da própria intimidade e pouquíssimo conhecimento de internet.

É só seguir o passo a passo que aparece nos sites que oferecem esse serviço. [...] Blog é uma abreviação de weblog, ou seja, em português, arquivo na rede. As possibilidades são infinitas. Pode-se juntar texto próprio com imagens, sons, desenhos tirados da rede e mesmo dos sites que os abrigam. A diferença em relação às antigas páginas pessoais na rede é que no blog tudo é escancarado e o visitante pode deixar comentários ou as próprias fotos. E tudo isso gratuitamente.[...]

 Veja Especial Jovem. São Paulo: Abril, Seção Comportamento, ago. 2003. Fragmento.

 

QUESTÃO  02 - O assunto desse texto é

(A) a comparação entre blog e diário.

(B) as fotos colocadas em um blog.

(C) diários secretos do passado.

(D) instruções para montar um blog.

 Leia o texto abaixo para responder a questão 03.

 Fernanda Takai, vocalista da banda mineira Pato Fu está participando da campanha Atitude Rosa’n Roll, do programa Mundo Rock de Calcinha (MRC). O objetivo é conscientizar o público jovem sobre a importância de doar sangue. “A gente precisa de mais doadores de vidas. Se todo mundo der um passinho adiante e passar a se enxergar como fonte de vida, nossa existência como seres humanos pensantes e dignos estará mais justificada”, diz a cantora. A campanha vai até dia 26 de março.

 Mais informações: www.mundorockedecalcinha.com/atitude.Revista 7 dias com você, março/2008.

 QUESTÃO 03 - O assunto principal desse texto é

(A) a propaganda do site da banda Pato Fu.

(B) o lançamento de um novo programa de Rock.

(C) uma campanha de doação de sangue.

(D) uma informação sobre Fernanda Takai.

 Leia o poema e depois responda a questão 04.

 Poema: Irene no céu

Irene preta

Irene boa

Irene sempre de bom humor.

Imagino Irene entrando no céu:

– Licença, meu branco!

E São Pedro bonachão:

– Entra, Irene. Você não precisa pedir licença.

 Manuel Bandeira

 

QUESTÃO 04 - O assunto do poema é

(A) a revolta de Irene com São Pedro.

(B) o encontro de Irene com São Pedro.

(C) a impaciência de São Pedro com Irene.

(D) a discussão de Irene e São Pedro.

 Leia o texto para responder a questão 05.

 Texto: Mordida de cão, gato, rato e cia

 De repente, o cachorro do vizinho ou um vira-lata não simpatiza com seu filho e lhe dá uma mordida. O que fazer? Primeiro, acalme-se e veja o estrago. Depois de cuidar do ferimento da criança, passe a prestar atenção no animal.

Se for possível, observe como se comporta o animal (esta observação pode mudar tudo). Por exemplo: se o animal não puder ser observado para saber se está com alguma doença, o esquema de vacina contra a raiva deverá ser o mais rigoroso possível. Por outro lado, se o animal, depois de 10 dias de observação, permanecer saudável, a criança poderá se livrar de um esquema vacinal na maioria das vezes longo, cansativo e doloroso.

Em todos os postos de saúde do Brasil você pode encontrar o esquema de vacinas contra raiva. Recomendado pela Organização Mundial de Saúde, baseado no local da mordida, na gravidade da lesão e nas condições de saúde do animal.

 Ziraldo e Dr. Tuta. Manual de sobrevivência do MeninoMaluquinho. Porto Alegre:L&PM, 1997. p. 40-41. *Adaptado: Reforma Ortográfica.


QUESTÃO 05 - O assunto desse texto é

(A) a saúde das crianças.

(B) a vacina das crianças.

(C) a vacina contra a raiva.

(D) a saúde no Brasil.

 Leia o texto abaixo para depois responder a questão 06.

 Texto: Mãos à água!

Elas entram em contato com muitas coisas e podem levar micro-organismos nocivos para a boca, os olhos e outras partes do corpo. Por isso, as mãos pedem atenção especial. Devem ser lavadas antes das refeições, depois de ir ao banheiro e sempre que em contato com a sujeira. A pele da palma das mãos é diferente da restante do corpo e pode ser lavada mais vezes.

Ciência Hoje das Crianças. jan./fev. 2007, ano 20, nº176.

 

QUESTÃO 06 - Qual é o assunto desse texto?

(A) A importância da água para o corpo.

(B) A importância de higiene com as mãos.

(C) Os cuidados de higiene com os alimentos.

(D) Os micro-organismos nocivos ao corpo.

Leia o texto abaixo e responda a questão 07.

 Texto: Qual a origem da expressão “pagar mico”?

 Ela vem do baralho infantil Jogo do Mico fabricado no Brasil desde a década de 1950. No jogo, as cartas têm figuras de animais e o jogador tem que formar pares com o macho e a fêmea de cada espécie. Mas, no baralho, o mico não tem par. Quem termina com a carta na mão perde – ou seja, paga o mico. Mas cuidado para não levar gato por lebre e confundir mico com pato. O “pagar o pato” vem da obra Le Facetiae, do italiano Giovanni Bracciolini, de 1450. O texto fala de um camponês que vendia patos. Uma mulher queria negociar o preço da ave com encontros entre ela e o vendedor. [...]

BARBOSA, Kleyson. Mundo Estranho. mar. 2010, p. 50. Fragmento.

 

QUESTÃO  07 - O assunto desse texto é

(A) a compra de um animal.

(B) a explicação de um jogo.

(C) a história de um camponês.

(D) a origem de uma expressão.

Leia o texto abaixo para depois responder o item 08.

Texto: De olho na terra

 A gente nem percebe, mas os satélites são importantes para todo mundo.

Quando você confere a previsão do tempo para saber se vai fazer sol no final de semana, as imagens são feitas por eles e as chamadas telefônicas também.

Os satélites são enviados ao espaço em foguetes ou ônibus espaciais e daí lançados para a posição onde devem ficar. Sua localização exata é calculada pelos cientistas e depende da tarefa que vão desempenhar. Os que ficam mais perto tiram fotografias para mapas. Os outros que pesquisam plantas, animais e vulcões, os de navegação, conhecidos como GPS, e os de previsão do tempo ficam a milhares de quilômetros de nosso planeta.

Revista Recreio, n. 361.

 

QUESTÃO 08 - O assunto principal desse texto é

(A) a localização calculada pelos cientistas.

(B) a importância dos satélites.

(C) a posição dos ônibus espaciais.

(D) a previsão do tempo.

 Leia o texto abaixo para responder a questão 09.

 Texto: Por que a espuma de sabonete e detergente coloridos é branca?

 Na verdade, elas são, sim, coloridas, apesar de não terem os mesmos tons do sabonete ou do detergente. O que faz parecer que elas são brancas é a maneira pela qual os nossos olhos veem cores. Isso porque eles possuem estruturas conhecidas como cones, que são sensíveis às cores vermelha, verde e azul.

Se as enxergarmos ao mesmo tempo, registramos que o objeto é branco. Isso fica mais claro quando olhamos uma bolha de sabão um pouco maior do que aquelas formadas na espuma do sabonete.

CONCEIÇÃO, Ana Lucia. In: Nova escola. São Paulo: Moderna, ano 24, n. 223, p. 28. 2009. Fragmento. Adaptado: Reforma Ortográfica.

 

QUESTÃO 09 - Qual é o assunto desse texto?

(A) As cores da espuma do detergente e do sabonete.

(B) As estruturas dos olhos dos seres humanos.

(C) O perfume do sabonete e do detergente.

(D) O tamanho das bolhas de sabão.

 Leia o texto abaixo e responda a questão 10.

 Texto: Quando os vilões se encontram

 Estavam todos lá. Pense num, em qualquer um e ele estava lá. O Capitão Gancho? Lá. A madrasta e as irmãs de Cinderela? Lá. A Rainha Malvada da Branca de Neve? Também. A Bruxa Má do Oeste? É claro que estava lá!

E isso sem falar em Dick Vigarista, Freddy Krueger, Coringa, Darth Vader, Mancha Negra, Lex Luthor, Cavaleiro Negro e mais algumas bruxas, uns dragões e outros monstros.

Era a Reunião Universal dos Inimigos Malvados, a R.U.I.M.

Todos chegaram à meia-noite em ponto ao Salão Negro do Castelo das Assombrações.

O Lobo Mau, que era o presidente da associação, tomou a palavra e disse:

– Caros vilões, estamos aqui reunidos por um motivo muito importante: ninguém respeita nossos direitos. Em todos os finais de história nós apanhamos e perdemos, sempre. Basta! Precisamos lutar contra isso. Precisamos virar a mesa, certo?

Nova Escola, ano XXIII, n. 213, p. 116, jun/jul 2008. Fragmento.

 

QUESTÃO 10 - O assunto desse texto é

(A) a associação dos vilões das histórias infantis.

(B) a chegada dos vilões ao Castelo das Assombrações.

(C) a luta dos vilões das histórias infantis.

(D) a reunião dos vilões das histórias infantis.