quarta-feira, 20 de setembro de 2017

O QUE É EDUCAÇÃO? CLAUDINO PILETTI - COM INTERPRETAÇÃO/GABARITO

O QUE É EDUCAÇÃO?

        Podemos começar a pensar sobre educação analisando o seguinte fato histórico:
        Por ocasião do tratado de Lancaster, na Pensilvânia (Estados Unidos), no ano de 1744, entre o governo da Virgínia e as seis nações indígenas, os representantes da Virgínia informaram aos índios que em Williamsburg havia um colégio dotado de fundos para a educação de jovens índios e que, se os chefes das seis nações quisessem enviar meia dúzia de seus meninos, o governo se responsabilizaria para que eles fossem bem tratados e aprendessem todos os conhecimentos do homem branco.
        A essa oferta, o representante dos índios respondeu:
        “Apreciamos enormemente o tipo de educação que é dada nesses colégios e nos damos conta de que o cuidado de nossos jovens, durante sua permanência entre vocês, será custoso. Estamos convencidos, portanto, de que os senhores desejam o bem para nós e agradecemos de todo o coração.
        “Mas aqueles que são sábios reconhecem que diferentes nações têm concepções diferentes das coisas e, sendo assim, os senhores não ficarão ofendidos ao saber que a vossa ideia de educação não é a mesma que a nossa.
        “[...] Muitos dos nossos bravos guerreiros foram formados nas escolas do Norte e aprenderam toda a vossa ciência. Mas, quando voltavam para nós, eles eram maus corredores, ignorantes da vida da floresta e incapazes de suportar o frio e a fome. Não sabiam como caçar o veado, matar o inimigo e construir uma cabana, e falavam a nossa língua muito mal. Eles eram, portanto, totalmente inúteis. Não serviam como guerreiros, como caçadores ou como conselheiros.
        “Ficamos extremamente agradecidos pela vossa oferta e, embora não possamos aceita-la, para mostrar a nossa gratidão oferecemos aos nobres senhores da Virgínia que nos enviem alguns dos seus jovens que lhe ensinaremos tudo o que sabemos e faremos, deles, homens”.

                               (Extraído de um texto escrito por Benjamim Franklin.)
       Claudino Piletti. Didática geral. São Paulo: Ática, 1989. p. 10-1.

1 – O que o representante dos índios entende por “educação” se assemelha à ideia que Rubem Alves tenta transmitir com seu texto? Em quê?
      Sim. Ambos pensam a educação como algo natural, atrelado a um determinado contexto cultural, que faça sentido para o educando e que tenha imediata aplicação em sua vida real.

2 – Como o representante dos índios consegue recusar o convite sem ofender os brancos?
      Ele elogia a iniciativa dos brancos, o sistema de ensino deles e agradece pelo empenho do governo.

3 – Na sua opinião, os brancos aceitariam a oferta dos índios? Justifique sua resposta.
      Resposta pessoal do aluno.

4 – O que o representante dos índios pretendia ao afirmar: “Mas aqueles que são sábios reconhecem que diferentes nações têm concepções diferentes das coisas”.
       Foi uma estratégia de convencimento. Caso o governo se ofendesse com a recusa, seria a demonstração de que os governantes não eram sábios.

5 – Rubem Alves tem uma ideia do que seja um homem sábio. É a mesma ideia que está presente na resposta do índio à oferta dos brancos?
       Sim, ambos têm a mesma ideia. Para eles, sábio é aquele que tem o discernimento para aceitar as razões do outro e usa o conhecimento para tomar as decisões mais acertadas.

6 – Se você recebesse uma resposta como essa, ficaria convencido e daria razão ao índio? Por quê?
       Resposta pessoal do aluno.


Nenhum comentário:

Postar um comentário