segunda-feira, 9 de julho de 2018

TEXTO: A VAGUIDÃO ESPECÍFICA -MILLÔR FERNANDES - COM INTERPRETAÇÃO/GABARITO


Texto: A Vaguidão Específica

             "As mulheres têm uma maneira de falar que eu chamo de vago-específica."
                                                                        Richard Gehman

        -- Maria, ponha isso lá fora em qualquer parte.
        -- Junto com as outras?
        -- Não ponha junto com as outras, não. Senão pode vir alguém e querer fazer coisa com elas. Ponha no lugar do outro dia.
        -- Sim senhora. Olha, o homem está aí.
        -- Aquele de quando choveu?
        -- Não, o que a senhora foi lá e falou com ele no domingo.
        -- Que é que você disse a ele?
        -- Eu disse pra ele continuar.
        -- Ele já começou?
        -- Acho que já. Eu disse que podia principiar por onde quisesse.
        -- É bom?
        -- Mais ou menos. O outro parece mais capaz. 
        -- Você trouxe tudo pra cima?
        -- Não senhora, só trouxe as coisas. O resto não trouxe porque a senhora recomendou para deixar até a véspera.
        -- Mas traga, traga. Na ocasião nós descemos tudo de novo. É melhor, senão atravanca a entrada e ele reclama como na outra noite.
        -- Está bem, vou ver como.

Entendendo o texto:
01 – O texto é um diálogo:
a)   Entre dois homens.
b)   Entre duas crianças.
c)   Entre um homem e uma mulher.
d)   Entre duas mulheres.

02 – Que palavras do texto serviram de pistas para você responder a questão anterior?
        “-- Maria, ponha isso lá fora em qualquer parte.”
        “—Sim senhora.”

03 – Qual é a relação entre as pessoas que dialogam no texto?
      Relação de patroa e empregada.

04 – Indique palavras do texto que contribuem para dar a ideia de algo vago, impreciso.
      Isso, outras, alguém, tudo, coisas, resto.

05 – Por que o título do texto é “Vaguidão Específica”?
      Segundo Richard Gehman, vago-específica é a maneira de falar das mulheres. E o texto traz a conversa de duas mulheres.

06 – Você compreendeu que o discurso é a forma concreta da manifestação individual da língua e essa manifestação implica a intencionalidade discursiva, a qual está presente em toda interação verbal. Com base nessa informação, e após a leitura do texto o autor explora intencionalmente a indeterminação da linguagem para comprovar o quê?
      Comprovar que, uma vez que se desconheça o contexto da comunicação, a fala das personagens torna-se incompreensível.

07 – O principal tema do texto é:
a)   A clareza das ideias.
b)   A incoerência das ideias.
c)   A incerteza das ideias.
d)   A vaguidão das ideias.
e)   A consistência das ideias.

08 – Leia o texto:
        “-- Maria, ponha isso lá fora em qualquer parte.
        -- Junto com as outras?”
        A vaguidão dessa passagem do texto acontece principalmente pelo uso de:
a)   Substantivos.
b)   Artigos.
c)   Preposições.
d)   Conjunções.
e)   Pronomes.

09 – As duas mulheres se entendem porque:
a)   São amigas.
b)   Falam de fatos que ambas conhecem.
c)   São patroa e empregada.
d)   Falam de fatos incompreensíveis.
e)   Têm uma relação comercial.

10 – No trecho: “-- Não, o que a senhora foi lá e falou com ele no domingo.” As palavras grifadas são, respectivamente:
a)   Artigo / substantivo / substantivo.
b)   Artigo / adjetivo / advérbio.
c)   Pronome / pronome / substantivo.
d)   Pronome / adjetivo / substantivo.
e)   Artigo / pronome / pronome.

11 – Quais são as palavras utilizadas no texto para substituir as coisas ou pessoas?
      Isso, outras, alguém, aquele, ele, outro.

12 – Transcreva dois exemplos de vocativo, Justificando:
      Maria, ponha isso lá fora em qualquer parte.
      Olha, o homem está aí.

13 – Que mensagem o texto lhe transmitiu?
      O autor faz uma sátira a partir das ideias de que as mulheres falam muito e que só elas se entendem, para percebermos a importância de se construir um texto claro, compreensível e que transmita a ideia que se deseja passar ao leitor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário