quarta-feira, 25 de julho de 2018

TEXTO: A ÓPERA DOS CAMUNDONGOS - MOACYR SCLIAR - COM INTERPRETAÇÃO/GABARITO


Texto: A ópera dos camundongos
       

      Camundongo pode cantar, afirma estudo. Os camundongos machos se põem a vocalizar quando as fêmeas estão presentes. Emitem melodias relativamente complexas, que parecem variar de indivíduo para indivíduo. (Folha de São Paulo)
  Tão logo se constatou a surpreendente habilidade dos roedores, foi organizada – mediante a colaboração de cientistas e músicos – uma espécie de companhia lírica, formada só de ratos de laboratório. E o espetáculo que apresentam tem feito sucesso no mundo inteiro. O mesmo sucesso que faziam Mickey e Minnie nos velhos tempos.
        Trata-se de uma ópera em três atos. Depois da abertura, surge no pequeno palco o personagem principal, o jovem Pancrácio, vivido por um elegante camundongo branco. Pancrácio entoa a bela ária “Por um pedaço de queijo”. O título, aliás, é um pouco enganador; pensamos que o jovem está atrás do alimento classicamente preferido pela rataria, mas o que em verdade ele nos diz é que “...Não há queijo, por maior que seja seu calórico valor/ que possa ser comparado/ às delícias do amor.” Pancrácio está apaixonado por Lucinda, uma linda e meiga ratinha, que corresponde por inteiro à sua paixão: do balcão do palácio, ela responde com a canção “O focinho do meu amado é a imagem da beleza.”
        Esse romance, porém, encontra um obstáculo. Dom Ratone, o tirânico pai de Lucinda, não gosta de Pancrácio, que é de origem humilde. Quer que a filha se case COMPANHIA LÍRICA – grupo formado por artistas de teatro (atores e atrizes) que encenam peças teatrais musicais, como as óperas. ÓPERA (em italiano significa trabalho, em latim é obra) é um gênero artístico teatral que consiste em um drama encenado, acompanhado de música, ou seja, composição dramática em que se combinam música instrumental e canto. O texto da ópera (conhecido como libreto) é normalmente cantado em lugar de ser falado. A ópera é também o casamento perfeito entre a música e o teatro. ÁRIA – canção. Composição musical (ou lírica) feita para ser cantada por um único personagem. CORAL – É quando a canção da peça é cantada em “coro” pelo conjunto de atores (personagens) que estão em cena. ESTIRPE: conjunto das gerações anteriores de um indivíduo ou de uma família. ASSECLAS: indivíduos que seguem partido, ideias. MURINA – relativo a ratos; que está relacionado à espécie dos ratos. Glossário jornalcultural.blogspot.com.br multiply.com com alguém da mais alta estirpe murina; para isso, contudo, é preciso acabar com a paixão dos jovens. Dom Ratone chama seus asseclas e determina-lhes que espalhem ratoeiras ao redor do palácio, para assim capturar aquele que considera como intruso. O feitiço vira contra o feiticeiro. Inadvertidamente, o próprio Dom Ratone cai em uma das armadilhas. Ali corre risco de vida, porque os camponeses da região estão determinados a exterminá-lo: Dom Ratone é um conhecido assaltante de celeiros. Um homem o avista, e corre em direção à ratoeira para liquidar o bicho – mas, no último momento, Pancrácio aparece e consegue salvar o pai de sua amada. Arrependido, Dom Ratone concede-lhe a mão (ou a pata, melhor dizendo) de sua filha e a ópera termina com o belo coral “Como é belo o amor dos camundongos”.
        Como foi dito, o espetáculo tem atraído enorme público. Mas há um problema: cada vez que aparece um gato na plateia, a companhia lírica inteira desaparece do palco. E aí o jeito é devolver os ingressos para o público.

SCLIAR, Moacyr. Deu no jornal. Erechim, RS: Edelbra, 2008.
Entendendo o texto:
01 – A partir de que notícia a história narrada foi imaginada?
      A partir de um estudo que prova, os camundongos machos se põem a vocalizar quando as fêmeas estão presentes.

02 – Que expressão de tempo, no 2.º parágrafo, informa que uma companhia teatral de ratos de laboratório foi criada logo assim que a ciência descobriu nos roedores a habilidade para o canto?
      “Foi organizada – mediante a colaboração de cientistas e músicos – uma espécie de companhia lírica, formada só de ratos de laboratório.”

03 – Por que o sucesso da companhia lírica de ratos leva o narrador a lembrar-se de Mickey e Minnie?
      Porque a Companhia Lírica faz o mesmo sucesso de Mickey e Minnie.

04 – Qual é o personagem principal da ópera, cuja história é contada dentro da história dos ratos cantores?
      O jovem Pancrácio.

05 – Como é o ator que interpreta o personagem principal?
      Um elegante camundongo branco.

06 – Quais são os personagens secundários e como o narrador os caracteriza?
·        Lucinda: uma linda e meiga ratinha.
·        Dom Ratone: o tirânico pai de Lucinda.

07 – Que outros personagens também participam?
      Os camponeses.

08 – Que função têm as aspas, usadas em alguns trechos do que se narra sobre a ópera dos camundongos?
      No 3° parágrafo, as aspas tem a função de separar alguns assuntos como:
      -- Comparar canção com queijo.
      -- Comparar o queijo com o amor.
      -- Falar da beleza do amor.
      No 4° parágrafo, as aspas tem a função de afirmar como é belo o amor dos camundongos.

09 – De acordo com a história narrada dentro da história, diga o significado que têm, no 2.º parágrafo:
a)   “Alguém da mais alta estirpe murina”.
Alguém muito importante do grupo.  

b)   “Asseclas”.
São indivíduos que seguem partido, ideias.

10 – No 4.º parágrafo, o narrador cita um dito bem popular: “O feitiço virou contra o feiticeiro”. Que situação o leva a dizer isso?
       Quando Dom Ratone cai em uma das suas armadilhas.   
 
11 – De acordo com o último parágrafo, o que causa o problema que obriga a companhia a devolver o dinheiro do ingresso ao público? Por quê?
      O aparecimento de um gato na plateia.
      Porque a Companhia Lírica inteira desaparece do palco.


Nenhum comentário:

Postar um comentário