sábado, 28 de julho de 2018

POEMA: MENINOS CARVOEIROS - MANUEL BANDEIRA - COM INTERPRETAÇÃO/GABARITO


.
Poema: Meninos Carvoeiros


Os meninos carvoeiros
Passam a caminho da cidade.
-- Eh! carvoero!
E vão tocando os animais com um relho enorme.

Os burros são magrinhos e velhos.
Cada um leva seis sacos de carvão de lenha.
A aniagem é toda remendada.
Os carvões caem.

(Pela boca da noite vem uma velhinha que os recolhe, dobrando-se com um gemido.)

-- Eh! carvoero!
Só mesmo estas crianças raquíticas
Vão bem com estes burrinhos descadeirados.
A madrugada ingênua parece feita para eles...
Pequenina, ingênua miséria!
Adoráveis carvoeirinhos que trabalhais como se brincásseis!

-- Eh! carvoero!
Quando voltam, vêm mordendo num pão encarvoado,
Encarapitados nas alimárias,
Apostando corrida,
Dançando, bamboleando nas cangalhas como espantalhos desamparados!

Petrópolis, 1921 (BANDEIRA, Manuel. O ritmo dissoluto. In: _____. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro Nova Aguilar, 1983. p. 192.)
Vocabulário:
Alimária: animal irracional, bruto.
Aniagem: tecido grosseiro.
Cangalhas: peça de madeira forrada de couro em cujas hastes se dependuram sacos.
Encarapitado: posto no alto, em cima, empoleirado.
Relho: chicote de cabo de madeira.

Entendendo o Poema:
01 – Sobre o texto é verdadeiro o que se afirma em:
A) O tema do texto é As brincadeiras infantis
B) O tema do texto é o trabalho triste e inocente dos meninos.
C) O tema do poema é o comercio de carvão
D) O tema do texto é os burros magrinhos.

02 – Em: “E vão tocando os animais com um relho enorme.” a expressão em negrito tem o mesmo sentido que:
A) vão gritando.
B) vão cantando.
C) vão tangendo.
D) vão segurando.

03 – “raquíticas” (verso 11) é o mesmo que:
A) trabalhadeiras.
B) brincalhonas.
C) levadas.
D) Franzinas
E) alegres.

04 – O sujeito poético se refere aos meninos carvoeiros, chamando-os de “Adoráveis carvoeirinhos” (verso15), porque:
A) ainda conseguem brincar, apesar da miséria,
B) tudo o que fazem é engraçado, sendo crianças.
C) as crianças ficam cômicas sujas de carvão.
D) eles não levam o trabalho a sério e, por isso, não sofrem.
E) o trabalho deles faz com que os passantes fiquem agradecidos.

05 – No trecho “(...) trabalhais como se brincásseis!”, os verbos referem-se à 2a pessoa do plural vós. Se eles se referissem a vocês, como ficaria a frase?
(A) Trabalham como se brincassem.
(B) Trabalhão como se brincassem.
(C) Trabalhas como se brincas.
(D) Trabalhão como se brincas.
(E) Trabalham como se brincas.

06 – No poema o autor expressa pelo trabalho dos meninos carvoeiros, um sentimento de:
(A) ciúme      
(B) raiva             
(C) indiferença                
(D) impaciência           
(E) tristeza

07 – De acordo com o poema, os meninos carvoeiros:
(A) mostram alegria e ingenuidade.
(B) demonstram revolta e desprezo.
(C) explicitam melancolia e desespero.
(D) apresentam desânimo e tristeza.
(E) expressam infelicidade e aflição.

08 – Ao caracterizar os burrinhos por meio dos adjetivos “magrinhos”, “velhos” e “descadeirados” caracterizam-se, também, os meninos, pois:
(A) relho usado pelos meninos machuca os burrinhos.
(B) peso dos meninos torna os burrinhos magrinhos e velhos.
(C) corpo dos burrinhos é velho como o dos meninos carvoeiros.
(D) físico dos burrinhos só suporta a fragilidade dos meninos carvoeiros.

09 – No verso “Quando voltam, vêm mordendo num pão encarvoado,”, o uso do acento circunflexo no verbo se justifica porque:
(A) “burrinhos” está no plural.    
(B) “madrugada” está no singular.
(C) “miséria” está no singular.
(D) “carvoeirinhos” está no plural.

10 – Entre o título “Meninos carvoeiros” e o verso “Eh, carvoero!”, verifica-se uma diferença que constitui um erro de grafia. Esse erro ocorre porque o autor:
(A) se enganou na grafia.
(B) quis mostrar que essa palavra tem duas grafias corretas.
(C) pretendeu representar a fala dos meninos.
(D) desejou respeitar a linguagem padrão.

11 – “Vem uma velhinha que os recolhe, dobrando-se com um gemido.”:
a)   O diminutivo está indicando:
(  ) Só tamanho.
(X) Tamanho e intensidade, isto é, idade avançada.

b)   No mesmo verso, a quem se refere o pronome os?
Refere-se (substitui) aos carvões (que caem).

c)   Reescreva o verso, substituindo o pronome os pelo substantivo correspondente.
Vem uma velhinha que recolhe os carvões (que caem).

12 – Observe os verbos destacados nas frases:
·        Quando ele volta, vem mordendo um pão encarvoado.
·        Quando eles voltam, vêm mordendo um pão encarvoado.
Por que foi acentuado a forma verbal “vêm” na segunda frase?
Porque está no plural.






Nenhum comentário:

Postar um comentário