segunda-feira, 23 de julho de 2018

TEXTO: A CORRENTE BRANCA - MEC - COM INTERPRETAÇÃO/GABARITO


Texto: A Corrente Branca

           O leite é muito mais do que o produto de fêmeas mamíferas.

        Ao tomar um copo de leite, a gente dá pouca atenção ao significado dessa ação. O gostoso líquido foi produzido, embalado, transportado e vendido até chegar ao copo para ser consumido. Aliás, o copo também foi produzido, embalado, transportado e vendido, envolvendo um grande número de trabalhadores de diversas esferas da produção, distribuição e comercialização, esferas que, por sua vez, consumiram quantidades de energia e matéria-prima.
        Como então esse leite chegou até o momento de poder ser consumido? Nas cidades, provavelmente alguém foi até a padaria comprar um litro de leite. Seguramente pediu a um balconista aquilo que precisava. O balconista teve como primeira tarefa do seu dia de trabalho guardar o lote de leite, que chegou de madrugada, na geladeira, para que não estragasse. Ele é um trabalhador, funcionário do dono do estabelecimento. Pode ser um empregado com registro na Carteira de Trabalho conforme manda a lei, ou fazer parte do contingente de trabalhadores que vivem relações de trabalho consideradas precárias.
        No momento da compra do produto, foi necessário escolher entre marcas, tipos e embalagens de leite com preços diferenciados, assim como tomar algumas precauções: Olhar a data de validade do leite, como estava armazenado (com boas condições de refrigeração), se a embalagem estava intacta, etc. Foi preciso conferir o troco e guardar o comprovante da operação de compra e venda do produto, pois, com ele, o consumidor, caso lesado, pode recorrer ao serviço de atendimento ao consumidor da empresa fornecedora do leite, às associações de defesa de consumidores civis e governamentais.
        No preço pago pelo produto, há também impostos embutidos, que geram numerário para que o governo forneça serviços, contrate obras e fiscalize, por meio de uma série de órgãos da administração pública, a produção, a distribuição e a comercialização, por exemplo, daquele leite, para garantir suas condições de higiene e qualidade, assim como verificar o cumprimento das leis que regulam as relações de trabalho e consumo. Essas leis, conquistadas ao longo da história pelos cidadãos organizados, partem do reconhecimento da desigualdade de forças existente nas relações de trabalho e consumo e visam proteger os cidadãos contra abusos e discriminações.
        A renda auferida pelo proprietário da padaria na venda do leite e de outros produtos pode ser depositada ou aplicada num banco. O banco, parte do sistema financeiro, reúne uma variedade de trabalhadores com diferentes qualificações, remunerações e direitos, sindicatos e associações profissionais. Enquanto o depositante mantém seu dinheiro no banco, a instituição financeira o utiliza, juntamente com o depósito de milhares de outros clientes, em operações financeiras e de crédito, sujeitas a taxas de juros cobradas de outras pessoas, empresas ou organizações que solicitam dinheiro para financiar sua produção, seus projetos e até as suas dívidas.
        É, parece que um copo de leite “esconde” muito leite mesmo!
        Para esse leite poder ser consumido, precisou ser transportado do laticínio até a padaria. Uma série de trabalhadores, os motoristas, proprietários de seus caminhões ou funcionários de empresas transportadoras, sujeitos a determinadas condições de salário e trabalho com seus direitos e sindicatos, fazem esse serviço pela madrugada afora. Para transportar o leite são necessários caminhões com refrigeração, projetados e produzidos em grandes fábricas nacionais ou multinacionais que consomem energia e matéria-prima e que, novamente, empregam um grande número de trabalhadores com diferentes especializações, sujeitos a diferentes formas de organização do trabalho, salários e direitos, possivelmente também organizados em seus sindicatos ou associações profissionais. Esses caminhões foram, por sua vez, vendidos por concessionárias que, também, reúnem trabalhadores do comércio, com sua respectiva organização.
        O laticínio, formado no Brasil inicialmente por cooperativas e com a presença, atualmente, de empresas multinacionais no setor, é a indústria do produto. É aí que o leite será pasteurizado, homogeneizado e embalado. Máquinas e outros instrumentos são necessários para a realização do processo, produzidas, também, por fábricas, com o trabalho dos engenheiros, projetistas e operários. A indústria do leite desenvolveu, além dos leites tipos A, B, C (diferenciados pelo seu teor de gordura entre outros aspectos), outros tipos de leite: o leite longa vida, o leite condensado, o leite em pó, o leite desnatado, assim como uma série de produtos lácteos, como bebidas com gosto de frutas, os mais variados iogurtes (tradicionais, com polpas de frutas, diets e lights), atingindo, dessa forma, públicos diferenciados por idade e poder aquisitivo.
        Uma parte da produção do leite não chega ao consumidor diretamente. Pães, bolos da indústria de panificação e outros produtos o utilizam como ingrediente. Para que a população compre (e não só uma vez, mas, se possível, sempre) um novo produto lácteo desenvolvido pela indústria do laticínio, é necessário que ela tome conhecimento da existência da mercadoria e sinta a necessidade de consumi-la. A propaganda, nas sociedades modernas, utilizando os meios de comunicação de massa, tem o papel de informar e “convencer” a pessoa de que ela “deve” comprar determinadas marcas e produtos. Este é outro setor que emprega o trabalho de uma série de profissionais que se dedicam ao estudo do perfil dos possíveis consumidores do produto, para encontrar os caminhos de seu sucesso de vendas.
        Mas para que o laticínio possa dar início a todo esse processo é necessária a matéria-prima: o leite. Para tanto, ainda é necessária a propriedade da terra (grandes propriedades, pequenas propriedades cooperadas, etc.), a plantação e manutenção do pasto, o cuidado dos animais, a cargo de trabalhadores, sujeitos a diferentes relações de trabalho, para que se produza esse importante e complexo líquido.
        Portanto, para que tudo isso possa aparecer nas prateleiras, trabalhadores com habilidades e conhecimentos diferenciados e adequados produzem e controlam a produção. Todos eles trabalham para obter remuneração que lhes permita comprar o leite e ouros produtos que consideram necessários para si e para os seus familiares.
        Pelo que se viu, o leite é muito mais que um “líquido branco, opaco, segregado pelas glândulas mamárias das fêmeas dos animais mamíferos” [...]

                Trecho extraído dos Parâmetros Curriculares Nacionais –
                                               Caderno Trabalho e Consumo – MEC.
Entendendo o texto:
01 – Qual é o título do texto? E o subtítulo?
·        A corrente branca.
·        O leite é muito mais do que o produto de fêmeas mamíferas.

02 – Quantas etapas o leite precisa passar, até chegar a sua mesa? E quais são elas?
      Passa por 06 etapas.
      São: produção, transporte, processamento, distribuição, varejo e consumo final.

03 – Para se produzir um produto, o que é necessário?
      Precisa-se de mão-de-obra, energia, matéria-prima, etc.

04 – Quais as precauções que devemos ter na hora de comprar o leite e outros produtos de consumo?
·        Olhar a data de validade.
·        Como está armazenada.
·        Se a embalagem está intacta, etc.

05 – O que é necessário guardar, para que possa recorrer ao SAC?
      O comprovante da operação de compra e venda do produto, Nota Fiscal ou Cupom Fiscal.

06 – Para que serve os impostos embutidos nos preços dos produtos?
      Serve para que o governo forneça serviços, contrate obras e fiscalize os produtos, visando proteger os cidadãos contra o abusos e discriminações.

07 – Onde é feita a pasteurização, homogeneização e embalagem do leite?
      No laticínio, que são formado no Brasil por cooperativas e com presença de empresas multinacionais no setor.

08 – Quais os produtos desenvolvidos pela indústria do leite?
      Possui diversos produtos como: Leite tipo A, B, C, (que são diferenciados pelo teor de gordura), o leite longa vida, o leite condensado, o leite em pó, o leite desnatado, assim como uma série de produtos lácteos, manteigas, queijos, etc.

09 – Qual é a matéria-prima que o laticínio precisa, para dar início a esse processo? E de quem ele depende?
      O Leite. Depende dos pequenos e grandes produtores de leite cooperados.

10 – O que as propriedades precisam para produzirem esse importante e complexo líquido?
      Precisam ter animais de produção bem cuidado, Cuidado especial com a plantação e manutenção das pastagens. E funcionários especializados para essas funções.

11 – No texto: “Para que tudo isso possa aparecer nas prateleiras, trabalhadores com habilidades e conhecimentos diferenciados e adequados produzem e controlam a produção, O que eles precisam ter?
      Ter uma remuneração que lhes permita comprar o leite e outros produtos que consideram necessários para si e seus familiares.

12 – O que você entendeu na frase: “Líquido branco, opaco, segregado pelas glândulas mamárias das fêmeas dos animais mamíferos”?
      Resposta pessoal do aluno.

13 – Você conhece uma propriedade produtora de leite? Já conhece os trabalhos?
      Resposta pessoal do aluno.


Nenhum comentário:

Postar um comentário