quinta-feira, 26 de julho de 2018

MÚSICA: MONTE CASTELO - RENATO RUSSO - COM INTERPRETAÇÃO/GABARITO


Música: Monte Castelo

                                           Renato Russo

Ainda que eu falasse a língua dos homens
E falasse a língua dos anjos
Sem amor eu nada seria

É só o amor, é só o amor
Que conhece o que é verdade
O amor é bom, não quer o mal
Não sente inveja ou se envaidece

O amor é o fogo que arde sem se ver
É ferida que dói e não se sente
É um contentamento descontente
É dor que desatina sem doer

Ainda que eu falasse a língua dos homens
E falasse a língua dos anjos
Sem amor eu nada seria

É um não querer mais que bem querer
É solitário andar por entre a gente
É um não contentar-se de contente
É cuidar que se ganha em se perder

É um estar-se preso por vontade
É servir a quem vence, o vencedor
É um ter com quem nos mata a lealdade
Tão contrário a si é o mesmo amor

Estou acordado e todos dormem
Todos dormem, todos dormem
Agora vejo em parte
Mas então veremos face a face

É só o amor, é só o amor
Que conhece o que é verdade

Ainda que eu falasse a língua dos homens
E falasse a língua do anjos
Sem amor eu nada seria.
                                                            Composição: Renato Russo.
Entendendo a canção:
01 – A canção Monte Castelo tem sua letra constituída basicamente pelo o quê?
      Recortes de Camões e da Bíblia, mas que contém a sua ideia central nas redondezas do título.

02 – O título é um fundamento muito importante para que seja compreendida a mensagem que o autor quis passar quando escreveu a canção. Por que Monte Castelo?
      Monte Castelo é o nome de uma região ao norte da Itália, onde foi travada a chamada Batalha de Monte Castelo. Foi lá que militares brasileiros e estadunidenses combateram soldados alemães ao fim da segunda guerra. A canção tem esse nome para nos remeter a esse tempo, a essa batalha.

03 – Em que versos o eu lírico escreve usando como base a Bíblia?
      “Estou acordado e todos dormem
       Todos dormem, todos dormem
       Agora vejo em parte
       Mas então veremos face a face.”

04 – O texto de Renato aproxima-se do texto de Camões pela presença de muitos paradoxos, (ideias contraditórias). Cite alguns.
      As contradições do amor são utilizadas para acentuar o dualismo platônico entre matéria e espírito, negativo e positivo, pecado e pureza. Essa feição contraditória e o jogo de oposições.

05 – “Ainda que eu falasse a língua dos homens. E falasse a língua do anjos, sem amor eu nada seria.” Interprete esses versos.
      O tempo utilizado (pretérito imperfeito do subjuntivo) é responsável para causar o efeito de sentido de impossibilidade e suposição. Está claro que o narrador não tem nada daquilo que se apresenta por orações concessivas e dificilmente terá (ele não fala a língua dos anjos, não tem o dom da profecia, não conhece todos os mistérios, não tem toda a fé, etc.).

06 – Nos versos: “É só o amor! É só o amor / Que conhece o que é verdade.” O que o autor relata?
      Relata que só através do amor é possível se conhecer a verdade e que ele é um sentimento puro do qual não dar lugar para a inveja e não se acaba, mas se eterniza.

07 – A canção é um diálogo intertextual entre que textos?
      Entre o soneto de Luís Vaz de Camões e a passagem da Bíblia: I Coríntios 13.

08 – Quando o poeta diz: “Tão contrário a si é o mesmo amor”; que quer dizer?
      Aqui o poeta abandona a tentativa de definir o amor.

09 – Assinale a alternativa CORRETA.
a)   Em Monte Castelo, Renato Russo dialoga com dois textos distintos: o poema de Camões Amor é fogo que arde sem se ver; e a Bíblia, no capítulo 13 da 2ª carta de Paulo aos Coríntios, quando fala de Amor como um bem supremo, além de o título aludir a uma batalha da Segunda Guerra Mundial, da qual participaram soldados brasileiros.
b)   Partindo do conceito de intertextualidade, expresso por Julia Kristeva, pode-se afirmar que Renato Russo não devia ter lançado mão de partes da Bíblia Sagrada para montar a letra de uma música profana.
c)   O diálogo entre textos conduz indiscutivelmente ao plágio; dessa maneira, a montagem, como paródia de três diferentes textos, realizada por Renato Russo, não o isenta da responsabilidade de ter usado indevidamente a produção de autores que o antecederam.
d)   Monte Castelo não foi uma montagem de dois textos, pois não houve intencionalidade do poeta em realizar tal façanha. A semelhança entre os textos é mera coincidência.
e)   O trabalho artístico do compositor brasileiro não pode ser considerado arte, porque não apresenta originalidade e ineditismo; trata-se de uma mera paráfrase de textos anteriores a ele.

10 – Com o verso: “É um não querer mais que bem querer”, fica sugerido que o sentimento do amor supera o (a):
a)   Egoísmo;
b)   Vaidade;
c)   Prazer;
d)   Ódio;
e)   Afeto.

11 – Caracteriza o amor, segundo a letra da música:
a)   Um sentimento de lealdade.
b)   O conhecimento da falsidade.
c)   A presença da maldade.
d)   Um sentimento alheio à solidariedade.
e)   Sensações e sentimentos contraditórios.

12 – É correto afirmar que, no texto, a função da linguagem que predomina denomina-se:
a)   Referencial;
b)   Emotiva;
c)   Conativa;
d)   Fática;
e)   Metalinguística.

13 – A linguagem desse poema é:
a)   Predominantemente irônica.
b)   Predominantemente conotativa.
c)   Predominantemente denotativa.
d)   Predominantemente coloquial.
e)   Predominantemente formal.




Um comentário: