sábado, 28 de julho de 2018

FÁBULA: O PAGAMENTO DO DEVEDOR E A DÍVIDA DO CREDOR - COM GABARITO


Fábula: O pagamento do devedor e a dívida do credor

        Na última lona, Hizi-ibn-Bem-Gazara pediu um empréstimo a um amigo rico que ia passando por ali. O amigo, cuja mania era apertar torneiras, recusou o empréstimo.
        Gazara implorou. O já não tão amigo recusou. Gazara chorou, prometeu, garantiu, até que o ex amigo lhe disse: "Se você, aos sessenta anos, conseguir plantar uma bananeira, eu lhe empresto o dinheiro."
        Apesar da idade, e apesar de nunca ter feito um exercício na vida, Gazara imediatamente plantou a bananeira. O já inimigo, obrigado a honrar sua palavra, imediatamente deu a Gazara as 3.000 rúpias de que este necessitava.
        Um observador social que, coerentemente, observava, não se conteve, saiu de sua observação, e disse a Gazara: "Como pode um sexagenário se humilhar de maneira tão humilhante e se curvar de maneira tão curvante pra conseguir que um idiota lhe empreste umas míseras gotas de sua liquidez?"
        E Gazara respondeu: " Não - pra mim foi fácil e nem senti a humilhação. Eu precisava do dinheiro e vou pagar com juros. Mas os juros maiores, os da humilhação, quem vai pagar é ele. Quando quiser receber terá que andar de quatro atrás de mim um ano inteiro."
        Obs.: Não há maior estímulo do que a adversidade, dizem todos os filósofos que, vivendo sempre à custa do poder, jamais passaram necessidades.
        MORAL: O credor está sempre na mão do devedor.

Entendendo a fábula:
01 – Com que finalidade Hizi-ibn-Bem-Gazara pediu um empréstimo ao amigo rico?
      Ele precisava do dinheiro e ia pagar com juros.

02 – Que condição o já ex-amigo impôs ao sexagenário para lhe emprestar o dinheiro?
      Que Gazara plantasse uma bananeira.

03 – O que disse um observador social a Gazara?
      "Como pode um sexagenário se humilhar de maneira tão humilhante e se curvar de maneira tão curvante pra conseguir que um idiota lhe empreste umas míseras gotas de sua liquidez?"

04 – No quarto parágrafo encontramos dois pleonasmo. Cite as expressões:
       “... se curvar de maneira tão curvante...”    
       “... se humilhar de maneira tão humilhante...”

05 – Houve um tempo, que era comum o sujeito ser escravizado por não pagar dívida. Depois houve uma evolução se permitia apenas prisão. E nos tempos atuais como pode cobrar dívidas?
      O credor pode penhorar recursos financeiros do devedor ou bens e leva-los a leilão ou até ficar com eles em definitivo se não aparecer quem os arremate.

06 – Por que Gazara diz que humilhação maior será do ex-amigo?
      Quando quiser receber terá que andar de quatro atrás de mim um ano inteiro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário