sábado, 28 de julho de 2018

TEXTO: UMA PROPOSTA SOBRE CIÊNCIA E ESPIRITUALIDADE - MARCELO GLEISER - COM INTERPRETAÇÃO/GABARITO


Texto: Uma proposta sobre ciência e espiritualidade
             
                                                          Marcelo Gleiser

        Foi o poeta romano Lucrécio, escrevendo em torno de 50 a. C., que famosamente deu voz à ciência como meio de emancipação pessoal (de liberação de superstições que só fazem despertar o medo e a escravidão do intelecto humano): nem mesmo o brilho do sol, a radiação que sustenta o dia, pode dispersar o terror que reside na mente das pessoas. Apenas a compreensão das várias manifestações naturais e de seus mecanismos internos tem o poder de derrotar esse medo.
        Já 400 anos antes, a maior influência intelectual de Lucrécio, o filósofo Demócrito, escrevia que a compreensão da estrutura racional do mundo era o único caminho para a felicidade, para o encontro com a graça. Demócrito era conhecido como o “Filósofo Sorridente”; seu sorriso, aqui, representando a graça que atribuímos aos santos e aos iluminados. Será que a razão pode ficar à transcendências?
        Para a maioria das pessoas, a proposta é impossível; razão é o oposto de graça ou de transcendência, visto que seu uso baseia-se na aderência a regras rígidas e a um ceticismo inabalável. Como que o pensamento analítico pode ter essa maleabilidade, esse impacto emocional e, mais ainda, espiritual?
        Primeiro, precisamos eliminar a relação entre a espiritualidade e o espirito enquanto manifestação sobrenatural. Um ponto de partida aqui é que existe apenas a matéria. Em toda a sua incrível complexidade, de elétrons a proteínas, de borboletas a estrelas, a matéria mantém um vínculo apenas com as forças físicas que agem sobre os seus constituintes.
        Não há dúvida de que compreendemos muito dessas manifestações, e é a isso que se refere Lucrécio quando escreve sobre “A compreensão das várias manifestações naturais e de seus mecanismos internos.” Este é o objetivo central das ciências físicas, a identificação dessas manifestações naturais e de seus mecanismos internos.
        Porém, não há dúvida, também, de que pouco sabemos do mundo, de que estamos cercados por questões de uma complexidade que nem temos como aferir.
        Mas quando falamos do mundo, desconhecido não significa divino, tampouco sobrenatural. Desconhecido significa que temos um desafio pela frente, que só pode ser encarado se nos dedicarmos ao seu estudo. E como se dá isso? Através dos métodos racionais da ciência, que implicam uma devoção intelectual e espiritual, como Einstein havia já percebido.
        Espiritualidade é uma ligação com algo maior do que nós, que nos seduz de forma incontrolável, que cria um querer penetrar sempre mais profundamente nos mistérios que nos cercam, o que se impõe como urgência.
        Essa espiritualidade natural, como eu a chamo, não é uma forma de misticismo. Misticismo pressupõe que o conhecimento que é inacessível ao intelecto possa ser obtido através da contemplação ou de uma união com o divino.
        A ciência, ao menos para mim, começa com uma ligação espiritual com a natureza, usando o intelecto como ponte entre essa ligação e a busca pelo conhecimento. Unindo a atração espiritual pelo desconhecido e o poder do intelecto, a ciência manifesta de forma única a imersão do homem na realidade que o cerca.
                                                 Fonte: Folha de São Paulo, 7 set. 14.
Entendendo o texto:
01 – Assinale a alternativa em que o termo presente na COLUNA B melhor substitui, no texto, o da COLUNA A, mantendo-se a sinonímia a mais aproximada possível.

COLUNA A:
a – Famosamente.
b – Maleabilidade.
c – Aferir.
d – Contemplação.
e – Imersão.

COLUNA B:
(a)Evidentemente.
(b)Flexibilidade.
(c)Comprovar.
(d)Complacência.
(e)Fuga.

02 – Segundo o texto, é correto afirmar que:
a)   Lucrécio se refere ao terror na mente das pessoas como o medo do conhecimento.
b)   O medo que as pessoas têm, segundo Lucrécio, poderia ser derrotado pela radiação solar.
c)   A emancipação pela ciência se dá pela compreensão de que o homem e escravo de seu intelecto.
d)   O caminho para ser feliz, para Demócrito, passa pela compreensão racional do mundo.
e)   Gleiser concorda que razão e transcendência são inconciliáveis.

03 – Com base no texto, analise as proposição a seguir, quanto à veracidade (V) ou falsidade (F), em relação ao emprego de elementos linguísticos.
      (V) O fragmento que aparece entre parênteses traz uma explicitação, para o leitor, do que significa emancipação pessoal oportunizada pela ciência.
      (V) O advérbio Apenas pode ser substituído no texto, sem comprometimento de sentido, por somente.
      (F) O pronome Seus retoma, no texto, o medo e a escravidão do intelecto humano.
        Assinale a alternativa que preenche correta e respectivamente os parênteses, de cima para baixo.
(a)  F – V – F.
(b)  F – F – F.
(c)  V – F – V.
(d)  V – V – F.
(e)  F – V – V.

04 – Com base no texto, é correto afirmar que:
I – Gleiser parte do pressuposto de que não há relação entre a espiritualidade e o sobrenatural.
II – O autor considera que tudo já foi conhecido por meio da ciência.
III – O objetivo das ciências físicas é identificar as manifestações da natureza e o seu funcionamento.
        Das proposições acima, apenas:
a)   I está correta.
b)   II está correta.
c)   III está correta.
d)   I e II estão corretas.
e)   I e III estão corretas.

05 – Conforme o texto, é correto afirmar que:
a)   O estudo do desconhecido, na ciência, ocorre por meio dos métodos racionais.
b)   O desconhecido, na ciência, está relacionado ao sobrenatural.
c)   A relação entre espiritualidade e misticismo é um argumento defendido pelo autor.
d)   A contemplação é uma forma de acesso ao conhecimento científico.
e)   Einstein já havia percebido a importância da religião na ciência.

06 – Com base no texto, é correto afirmar que:
I – A maior parte das pessoas considera impossível transcender por meio da razão.
II – A matéria é o que existe, e sua relação se dá com as forças físicas.
III – O uso da razão pressupõe tornar maleável a adesão ao ceticismo.
        Das proposições acima:
a)   Apenas I está correta.
b)   Apenas II está correta.
c)   Apenas III está correta.
d)   Apenas I e II estão corretas.
e)   I, II e III estão corretas.

07 – Com base no texto, é correto afirmar que:
I – A espiritualidade é definida como necessidade de conexão com o divino.
II – A espiritualidade natural e o misticismo são vistos, pelo autor, como formas distintas de se relacionar com o que ainda não é conhecido.
III – Os métodos racionais da ciência se constituem na forma de fazer frente ao desafio de compreender o desconhecido.
        Das proposições acima, apenas:
a)   Apenas I está correta.
b)   Apenas II está correta.
c)   Apenas III está correta.
d)   Apenas I e III estão corretas.
e)   Apenas II e III estão corretas.

08 – Conforme o texto, é correto afirmar que:
a)   O sobrenatural só pode ser conhecido por meios diversos da ciência.
b)   A atração pelo desconhecido demonstra a fuga da realidade pelo homem.
c)   As duas formas possíveis de acesso ao conhecimento são a contemplação e a espiritualidade.
d)   O intelecto serve de conexão entre a espiritualidade e a busca pelo conhecimento na ciência.
e)   A inteligência humana é capaz de avaliar a complexidade das questões da realidade material.



Nenhum comentário:

Postar um comentário