domingo, 1 de julho de 2018

POEMA: SOU NEGRO - COM INTERPRETAÇÃO E GABARITO


Poema: Sou Negro
        

                          À Dione Silva

Sou negro
meus avós foram queimados
pelo sol da África
minh'alma recebeu o batismo dos tambores
atabaques, gonguês e agogôs.

Contaram-me que meus avós
vieram de Loanda
como mercadoria de baixo preço
plantaram cana pro senhor do engenho novo 
e fundaram o primeiro Maracatu. 

Depois meu avô brigou como um danado 
nas terras de Zumbi 
Era valente como quê 
Na capoeira ou na faca 
escreveu não leu 
o pau comeu 
Não foi um pai João 
humilde e manso. 

Mesmo vovó 
não foi de brincadeira 
Na guerra dos Malés 
ela se destacou. 
Na minh’alma ficou.

Entendendo o poema:

01 – Na foto acima vemos um jogo de capoeira. O que você sabe a respeito da capoeira? 
      A capoeira desenvolveu-se entre os escravos africanos.
      Segundo Câmara Cascudo, trata-se de um "jogo atlético de origem negra, ou introduzido no Brasil pelos escravos bantos de Angola, defensivo e ofensivo, espalhado pelo território e tradicional no Recife, cidade do Salvador e Rio de Janeiro" (Dicionário do folclore brasileiro. Rio de Janeiro: Ediouro, s.d.). 

02 – Além da capoeira, que outros elementos da cultura africana presentes no Brasil você saberia apontar? 
      Há muitos exemplos de ritmos e instrumentos musicais, de culinária, de tradições religiosas, de vocábulos incorporados à nossa língua etc. 

03 – No poema de Solano Trindade, o eu lírico resgata alguns aspectos da resistência escrava no Brasil. Explique. 
      Ele se refere a Zumbi, à revolta dos Malês e à valentia dos avós. 

04 – O eu lírico destaca também uma contribuição cultural do escravo africano. Qual?
       A criação do primeiro maracatu, manifestação artística cujo ritmo musical influenciou o samba. 

05 – Esses elementos apontados nas questões anteriores estão resumidos em que estrofe do poema? 
      Na última estrofe, quando o eu lírico diz que sua herança é o samba, o batuque, a dança e o desejo de ser livre. 





Nenhum comentário:

Postar um comentário