sábado, 4 de agosto de 2018

FÁBULA: SÁBIAS DIVERGÊNCIAS - COM INTERPRETAÇÃO/GABARITO


Fábula: Sábias divergências
       
     À maneira dos... Siberianos

      Dois homens de alta sabedoria se encontraram no meio de uma estrada estreita em Irks-Polustski. Um deles, vendo que o outro não lhe dava passagem, gritou:
        -- Sai do meu caminho, filho de um cão pária e reco-reco!
        Ao que o outro reagiu:                                              
        -- Tu, que jamais tiveste consciência do espírito da consciência, deverias sair do caminho de um homem que está acima das vãs trivialidades do teu pensamento. Sai, afasta-te, verme!
        -- Se conhecesses os princípios e os fins, os mistérios da escatologia, me darias passagem, cão sarnento e teco-teco – replicou o outro.
        -- Se princípios e fins fossem do teu conhecimento, há muito já estarias morto, e a escatologia tinha ido pro brejo – gritou o segundo sábio.
        Um professor de filosofia, que ia passando com seus alunos, ordenou:
        -- Parem! Parem e prestem atenção às belezas infinitas das altas discussões culturais!
        Os alunos pararam e ouviram, até que um deles disse:
        -- Mas me parece que esses dois aí estão apenas se esculhambando.
        -- Quando sábios tratam de princípios e especulações filosóficas, tudo que dizem é filosofia – explicou o professor.
        -- Mas, então – aventurou o discípulo –, quando é que a coisa se torna ofensa e agressão?
        -- Quando é dita por qualquer pessoa comum, sem interesse cultural. A cultura – aprenda – está sempre acima e além da prosaica busca de convivência e harmonia social.

        Moral: Só na guerra se aprende a beleza da paz.

Entendendo a fábula:
01 – O que aconteceu em uma estrada estreita?
      O encontro de dois homens da alta sabedoria.

02 – O que um homem falou para o outro?
      “Sai do meu caminho, filho de um cão pária e reco-reco.”

03 – De acordo com o texto, qual foi a resposta dada?
      “-- Tu, que jamais tiveste consciência do espírito da consciência, deverias sair do caminho de um homem que está acima das vãs trivialidades do teu pensamento. Sai, afasta-te, verme!”

04 – Enquanto os dois iam discutindo, quem chegou para passar pela estrada estreita?
      Um professor de filosofia e seus alunos.

05 – Qual foi a primeira impressão que os alunos tiveram, após ouvirem a discussão dos dois? Copie do texto.
      “-- Mas me parece que esses dois aí estão apenas se esculhambando.”

06 – Para o professor, qual é a sua visão da discussão?
      “-- Quando sábios tratam de princípios e especulações filosóficas, tudo que dizem é filosofia” – explicou o professor.

07 – Os alunos continuaram encabulados com aquela discussão e questionaram o professor, quando é que se torna ofensa e agressão?
      “-- Quando é dita por qualquer pessoa comum, sem interesse cultural. A cultura – aprenda – está sempre acima e além da prosaica busca de convivência e harmonia social.”

08 – O que você entendeu da moral da fábula?
      Resposta pessoal do aluno.
     

     


Nenhum comentário:

Postar um comentário