quinta-feira, 23 de agosto de 2018

O CONTO DA MENTIRA - ROGÉRIO AUGUSTO - COM INTERPRETAÇÃO/GABARITO


 O Conto da Mentira

        Todo dia Felipe inventava uma mentira. “Mãe, a vovó tá no telefone!”. A mãe largava a louça na pia e corria até a sala. Encontrava o telefone mudo. O garoto havia inventado morte do cachorro, nota dez em matemática, gol de cabeça em campeonato de rua.
        A mãe tentava assustá-lo: “Seu nariz vai ficar igual ao do Pinóquio!”. Felipe ria na cara dela: “Quem tá mentindo é você! Não existe gente de madeira!”.
       O pai de Felipe também conversa com ele: “Um dia você contará uma verdade e ninguém acreditará!” Felipe ficava pensativo. Mas, no dia seguinte. Então, aconteceu o que seu pai alertara.
        Felipe assistia a um programa na TV. A apresentadora ligou para o número do telefone da casa dele. Felipe tinha sido sorteado. O prêmio era uma bicicleta: “É verdade, mãe! A moça quer falar com você no telefone pra combinar a entrega da bicicleta.”
        “É verdade!”.
     A mãe de Felipe fingiu não ouvir. Continuou preparando o jantarem silêncio. Resultado: Felipe deixou de ganhar o prêmio. Então ele começou a reduzir suas mentiras. Até que um dia deixou de contá-las. Bem, Felipe cresceu e tornou-se um escritor. Voltou a criar histórias.
        Agora sem culpa e sem medo. No momento está escrevendo um conto. É a história de um menino que deixa de ganhar uma bicicleta porque mentia...

AUGUSTO, Rogério. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo.
Miniconto. Folhinha 14 jun. 2003. F8 C1 -1.
Entendendo a fábula:
01 – Felipe começou a reduzir suas mentiras porque:
(A) começou a escrever um conto.                                  
(B) deixou de ganhar uma bicicleta.
(C) inventou ter sido sorteado por um programa de TV. 
(D) seu pai alertou sobre as consequências da mentira.

02 – No trecho “A mãe tentava assustá-lo.”, o termo destacado substitui:
(A) pai de Felipe. 
(B) Pinóquio. 
(C) cachorro. 
(D) Felipe.

03 – No desfecho do conto, ficamos sabendo que Felipe:
(A) continua contando mentira para seus pais.         
(B) decide ler todos os livros sobre o Pinóquio.
(C) torna-se um escritor e volta a criar histórias.
(D) escreve um livro de normas para o campeonato de rua.

04 – Com base no texto, pode-se dizer que Felipe quando era criança costumava:
(A) escrever.
(B) estudar.
(C) obedecer.
(D) mentir.

05 – Identifique a ordem dos acontecimentos no conto:
(    ) Felipe utiliza a criação de histórias como uma ferramenta profissional.
(    ) O pai do garoto o alerta quanto às consequências do ato de mentir.
(    ) Felipe deixa de ganhar a bicicleta do programa de televisão.
(    ) Felipe conta inúmeras mentiras em casa.
A sequência correta é:
a) 1, 2, 3, 4.
b) 4, 2, 3, 1.
c) 4, 3, 1, 2.
d) 2, 1, 4, 3.

06 – O uso frequente das “aspas” no texto, serve para:
(A) acrescentar explicações.
(B) marcar a fala dos personagens.
(C) explicar as etapas do procedimento.
(D) dar uma pausa nas frases.

07 – Em: “Quem mentindo é você!” a palavra que está sublinhada no trecho é um tipo de linguagem:
(A) falada entre familiares e amigos.
(B) ensinada na gramática e dicionários.
(C) discursada em plenária parlamentar.
(D) descrita nos manuais de instrução.

08 – No trecho: “A apresentadora ligou para o número do telefone da casa dele. A quem se refere o termo dele?
(A) Ao narrador.
(B) Ao pai.
(C) Ao filho.
(D) Ao Pinóquio.

09 – Na oração: “Então ele começou a reduzir suas mentiras.”, a palavra grifada pode ser substituída por:
(A) aumentar.
(B) diminuir.
(C) estabilizar.
(D) terminar.

10 – O assunto central do conto são:
(A) as mentiras.
(B) as verdades.
(C) as invenções.
(D) as conversas.

11 – Identifique os referentes das palavras sublinhadas:
a) “A mãe tentava assustá-lo [...]”.
      Refere ao “garoto Felipe”.

b) “Felipe ria na cara dela [...]”.
      Refere-se à “mãe”.

c) “A moça quer falar com você no telefone pra combinar a entrega da bicicleta.”.
      Refere-se à “apresentadora de TV”.

d) “Até que um dia deixou de contá-las.”.
      Refere-se às “mentiras”.

12 – Pela conclusão da narrativa, a personagem se transformou:
(A) num ator.
(B) num escritor.
(C) num jornalista.
(D) num vendedor.

13 – Releia:
        “Voltou a criar histórias. Agora, sem culpa e sem medo.”
         Explique por que, agora, Felipe não se sente culpado e com medo de contar mentiras:
      O fato de Felipe, quando criança, não ter ganhado a bicicleta, em consequência de suas mentiras, fez com que reduzisse e até parasse de contá-las. Porém, agora, adulto, pode criar histórias sem medo e sem receio, visto que faz parte de sua profissão: escritor.



Nenhum comentário:

Postar um comentário