terça-feira, 7 de agosto de 2018

LENDA: O LOBISOMEM - SAMIR MESERANI - COM INTERPRETAÇÃO/GABARITO


LENDA: O Lobisomem
        
      Um ser fantástico

        O lobisomem é um ser fantástico e assustador que, como o nome indica, é meio lobo, meio homem. Durante os dias de semana é um homem comum, magro, alto, de pele macilenta, com um olhar melancólico. Normalmente afável e calma, de uma hora para outra pode tornar-se irritadiço. De vez em quando dá longos suspiros, como se fossem uivos silenciosos. E, às sextas-feiras, precisamente à meia noite, esse homem se transforma. Adquire característica de lobo: as orelhas crescem, surgem pelos espessos no rosto e no corpo, a boca se escancara mostrando dentes afilados. As mãos mais parecem patas ou garras. Torna-se então perigoso para os outros animais, sobretudo para o homem.
        É difícil saber de onde o lobisomem é originário. O maior estudioso dos seres fantásticos do Brasil, o folclorista Câmara Cascudo, afirma que se trata de um bicho universal, encontrável em todos os países. Em cada um ele recebe um nome diferente: Licantropo (na Grécia), Versiopélio (em Roma), Volkdlack (nos países 10 eslavos), Loup-Garou (na França), Obototen (na Rússia), Banramr (nos países nórdicos) ... Nossos caboclos dizem “Lobisome” e têm muito medo dele.
        Sexta-feira, da meia-noite às duas da manhã, o lobisomem sai numa corrida barulhenta e atropelada para percorrer ou sete cemitérios, ou sete outeiros, ou sete encruzilhadas, ou sete vilas. Nas vilas, sítios e fazendas por onde passa, os moradores rezam e atiçam os cães para persegui-lo, para afugentá-lo. Perto das casas, plantam arruda e alecrim. Percorridos os sete lugares, ele retorna ao local de partida, onde há uma umburana, árvore frondosa na qual esconde sua roupa, e volta à forma humana...
        Diz a lenda que lobisomem é filho homem que nasce depois de sete filhas mulheres e só começa a se transformar depois dos trezes anos de idade. Trata-se de uma sina, de um triste destino. Mas que pode ser curado, desencantado. Para tanto, basta um ferimento, ainda que pequeno, que sangre, ou um tiro de bala untada em vela que ardeu numa missa.
        Contam que em Lambari, perto do Porto Martins, um casal teve um filho homem depois de já ter sete filhas mulheres. O menino estava predestinado a ser um lobisomem. Seus pais rezavam todas as noites para que esse destino não se cumprisse. Mas na noite em que fez treze anos ele saiu correndo até uma umburana, em frente de sua casa, estrebuchou e virou lobisomem. Já estava pronto para percorrer sete vilas quando ouviu uma algazarra. Eram seus colegas de classe que estavam vindo para fazer-lhe uma festa de aniversário, de surpresa. Quando viram a fera, saíram em disparada. Menos uma menina de nome Mariza, que, além de não acreditar em lobisomem, usava óculos por ser muito míope. Na correria, um colega derrubou seus óculos no chão. Sem enxergar direito, Mariza foi em frente, carregando o bolo de aniversário e uma faca para cortá-lo. O lobisomem avançou. Mariza, vendo sem nitidez um vulto que ameaçava sobre o bolo, cutucou-o, pensando que fosse um convidado guloso. Gritou:
        --- Sai pra lá e espera! Primeiro o aniversariante.
        Ao cutucar com a faca, feriu a pata do lobisomem, que começou a sangrar. E a fera, na mesma hora, se transformou novamente no menino, que se apressou em cortar o bolo. Enquanto isso a turma voltava para cantar o “Parabéns a você.”
      O menino cresceu normal e nunca mais se transformou em lobisomem. Terminado o colégio, montou uma doceria chamada AO BOLO DO LOBO, que até hoje existe em Lambari. Mariza formou-se em História e tornou-se professora. Diz a seus alunos que essa história de lobisomem é bobagem, que nunca viu nenhum. A propósito, gosta de citar o filósofo Hobbes, para quem o verdadeiro lobo do homem é o próprio homem.

Samir Meserani.Os incríveis seres fantásticos, São Paulo: FTD, 1997.
Entendendo o texto:
01 – Você acredita em lobisomem?
      Resposta pessoal do aluno.

02 – Que características tem esse ser fantástico, para receber esse nome?
      Tem características de um lobo: as orelhas crescem, surgem pelos espessos no rosto e no corpo, a boca se escancara, as mãos parecem garras.

03 – Como você acha que ele é antes de se transformar? E depois da transformação?
      Resposta pessoal do aluno.

04 – O lobisomem é uma lenda brasileira, ou é conhecida de outros povos?
      De acordo com o folclorista Câmara Cascudo, trata-se de um bicho universal, encontrável em todos os países.

05 – Em que condições você acha que um ser humano pode se transformar em lobisomem?
      Resposta pessoal do aluno.

06 – Como você acha que as pessoas podem se defender do lobisomem?
      Resposta pessoal do aluno.

07 – Como fazer para quebrar o encanto para sempre (para ele voltar ao normal)?
      De acordo com o texto, basta um ferimento, ainda que pequeno, que sangre, ou um tiro de bala untada em vela que ardeu numa missa.

08 – Por que o texto é considerado um texto informativo?
      Porque é um texto que traz informações sobre esse personagem folclórico.

09 – O que diz a lenda do lobisomem?
      Que é filho homem que nasce depois de sete filhas mulheres e só começa a se transformar depois dos treze anos de idade.

10 – Em que dia e hora que se dá a transformação do lobisomem?
      Na sexta-feira, da meia-noite às duas da manhã.

11 – Quais os locais que o lobisomem, precisa percorrer para completar o ciclo e voltar forma humana?
      Ele precisa percorrer: sete cemitérios; ou sete outeiros; ou sete encruzilhada, ou sete vilas.

12 – O que ocorre após percorrer estes locais?
      Ele retorna ao ponto de partida, onde há uma umburana, árvore frondosa na qual esconde sua roupa.

13 – Qual era o nome da doceria do menino que o encanto foi quebrado?
      Chamava-se AO BOLO DO LOBO.

14 – De quem é a frase: “Para quem o verdadeiro lobo do homem é o próprio homem”?
       O filósofo Hobbes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário