quarta-feira, 30 de agosto de 2017

SIMULADO SOBRE O REALISMO - COM GABARITO

 REALISMO 

1 – (UNIJUÍ-RS) Aluísio Azevedo foi introdutor do Realismo no Brasil com a obra O Mulato (1881). Sobre o movimento literário pode-se afirmar que:
I – O Realismo predomina sobre o Romantismo na segunda metade do século XIX.
II – Realismo e Modernismo, no fundo, tinham as mesmas reivindicações.
III – São causas do Realismo: o progresso da Ciência e o esgotamento do Romantismo.
IV – Os escritores realistas pretendiam reformular a vida social através de seus textos.
V – Para o Realismo, o comportamento humano é determinado pelo meio.
Sobre a obra pode se dizer que:
1)    Apresenta um “tipo”, o imigrante português Dias, que chega ao Brasil disposto a tudo para enriquecer.
2)    Faz parte da composição da obra um personagem chamado Raimundo, com traços românticos: caráter, riqueza, beleza.
3)    O romance termina com Dias e Ana Rosa ricos e felizes.
4)    Bertoleza tem papel importante, mas suicida-se cravando uma faca no seu ventre.
5)    O romance ambienta-se claramente em São Luís do Maranhão.
Assinale a resposta que contiver a composição das afirmações incorretas:
a)     IV e 4.
b)    III e 4.
c)     I e 5.
d)    II e 4.
e)     II e 5.

2 – (FESP) Identifique o movimento literário, o autor e a obra que traz como dedicatória a seguinte frase:
               “Ao verme que primeiro roeu as frias carnes do meu cadáver dedico como lembrança estas...”
   a)     Realismo. Machado de Assis. Memórias póstumas de Brás Cubas.
   b)    Naturalismo. Aluísio Azevedo. O Mulato.
   c)  Naturalismo. Júlio Ribeiro. A Carne.
   d)   Pré-modernismo. Lima Barreto. Triste fim de Policarpo Quaresma.
  e)    Romantismo. Álvares de Azevedo. Lembranças de morrer.

3 – (MACK-SP) A poesia metafísica portuguesa seria uma espécie de escape à angústia cultural e geográfica em que vive o homem português, num território diminuto entre o Oceano Atlântico e o continente europeu, sonhando glórias perdidas no século XVI.
        O maior representante de tal tendência, no Realismo de Portugal, foi:
a)     Cesário Verde.
b)    Antero de Quental.
c)     Guerra Junqueiro.
d)    Gomes Leal.
e)     Gonçalves Crespo.

4 – (UNAESP-SP) Romance que ilustra bem a posição crítica de Eça de Queirós em fase da sociedade lisboeta de seu tempo, O primo Basílio trata de um tema caro ao Realismo: o adultério.
        Escolha, dentre as alternativas abaixo, a que corresponde às características da personagem central, Luísa, e seu estilo de vida:
   a)   Luísa, levando uma vida de burguesa, cheia de tédios, resiste a várias investidas de seu primo, até descobrir que seu marido a trai.
   b)    Personagem dinâmica, Luísa conduz as ações de acordo com sua vontade.
   c)   Abandonada pelo marido, influenciada por leituras românticas, deixa se levar a aventuras extraconjugais.
d)    Casada com Jorge por capricho ou estouvamento, ociosa e sonhadora, é envolvida pelos galanteios de Basílio e comete adultério.
e)     Fragilizada pelo casamento infeliz, Luísa procura seu ex-namorado e tenta reconstituir sua vida amorosa.

5 – (PUC-SP) “--- Ao vencedor, as baratas!”
      A frase acima aparece num romance de Machado de Assis.
    a)     Qual o título do romance?
Quincas Borba.
    b)    Explique o significado da frase.
A frase significa que, numa sociedade de consumo, vence quem compete com mais garra.

6 – (PUC-RS) Sobre O Ateneu, de Raul Pompéia, é correto afirmar que:
   a)    Apresenta todas as características do Realismo, exceto a influência do meio sobre o comportamento do indivíduo.
   b)   Tem como matéria-prima as recordações e impressões da personagem principal.
  c)    Constitui-se num documento fotográfico da realidade objetiva.
d)    Segue uma ordem cronológica, apoiando-se no real.
e)     Não se atém a reflexões críticas em relação ao contexto social.

7 – (UNIJUÍ-RS) O Cortiço, escrito em 1890, é considerado a obra-prima de Aluísio Azevedo. Escolha nas colocações que seguem a que melhor caracteriza a obra:
a)     Um dos melhores retratos que já se levantaram do Brasil do II Império, em que a sobrevivência da estrutura colonial punha à mostra uma numerosa mostragem de portugueses enriquecidos a empolgar as posições de comando e uma região mal definida de pretos, mulatos e brancos em pleno processo de caldeamento e formação, constituindo o escalão mais inferior da sociedade.
b)    Retrata a falência da sociedade patriarcal nordestina que, tendo por base sempre a atividade econômica açucareira, pouco se modifica desde os fins do século XVIII.
c)     Reflete as transformações que afetaram a região da campanha na segunda metade do século XIX. Não há nele nenhum delineamento saudosista, ao contrário de outros textos ficcionais da época.
d)    No plano da temática, o rompimento com a tradição narrativa brasileira se dá pela inserção, ao longo dos relatos, de elementos inverossímeis.
e)     Fixando a região de campanha, a obra descreve a crise e as divisões entre os estancieiros do sul do Brasil. O protagonista tenta colocar em prática certas ideias reformistas, mas fracassa em seus objetivos.

8 – (VUNESP-SP) A carta a Castilho, intitulada Bom senso e bom gosto, que defendia os jovens escritores realistas e a poesia nova em Portugal na segunda metade do século XIX, foi escrita por:
     a)   Eça de Queirós.
      b) Ramalho Ortigão.
     c)     Antero de Quental.
    d)    Teófilo Braga.
     e)    Guerra Junqueiro.


9 – (UFV-MG) Em se tratando de Quincas Borba, romance de Machado de Assis, todas as alternativas abaixo estão corretas, exceto:
a) O Humanitismo, teoria filosófica de Quincas Borba, defende o princípio da liberdade de conservação.
b) A narrativa é lenta com abundância de detalhes.
c) As personagens são escrupulosas e despidas de egoísmo.
d) A burguesia frívola da corte constitui a sociedade ficcional machadiana.
e) Rubião, personagem central, traz as marcas da fraqueza na luta pela sobrevivência.

10 – (USF-SP) Pode-se entender o Naturalismo como uma particularização do Realismo que:

a) Se volta para a Natureza a fim de analisar-lhe os processos cíclicos de renovação.
b) Pretende expressar com naturalidade a vida simples dos homens rústicos nas comunidades primitivas.
c) Defende a arte pela arte, isto é, desvinculada de compromissos com a realidade social.
d) Analisa as perversões sexuais, condenando-se em nome da moral religiosa.
e) Estabelece um nexo de causa e efeito entre alguns fatores sociológicos e biológicos e a conduta das personagens.

11 – (PUC-RS):
                         “A mais terrível das instituições do Ateneu não era a famosa justiça de arbítrio, não era ainda a cafua, asilo das trevas e do soluço, sanção das culpas enormes. Era o livro das notas.
                         Todas as manhãs, infalivelmente, perante o colégio em peso, congregado para o primeiro almoço, às oito horas, o diretor aparecia a uma porta, com solenidade tarda das aparições, e abria o memorial das partes.”
Em O Ateneu, Raul Pompéia denuncia, como exemplifica o texto, a:
   a) Perversidade do sistema educacional.
   b) Relação perigosa entre adolescentes.
   c) Brutalidade física na educação.
   d) Vontade de poder do educador.
   e) Política interesseira da escola.

12 – (PUCCAMP-SP):
        Texto I
                             “Iaiá mostrou-se tão expansiva naquela noite e nos seguintes dias, derramou de tal modo a vida que a enchia que Estela compreendeu tudo o que se passava entre a enteada e Jorge. Há uns amores, aliás verdadeiros, a que precedem muitas contrafações; primeiro que a alma os sinta, tem despendido a virgindade em sensações íntimas.”
        Texto II
                              “Mas não é este propriamente o resto do livro. O resto é saber se a Capitu da Praia da Glória já estava dentro da de Mata-cavalos, ou se esta foi mudada naquela por efeito de algum caso incidente.”
Os fragmentos acima representam obras que permitem afirmar corretamente sobre Machado de Assis:
  a) Em romances iniciais, o autor se apresenta bastante comprometido com a herança romântica; nos posteriores, preocupa-se especialmente com a construção da trama, acompanhando fielmente as personagens em suas peripécias.
b) Os romances de um primeiro grupo revelam um escritor ainda esperançoso quanto à natureza humana, por isso preocupado em desvendar-lhe os mistérios; os de um segundo grupo denotam o pessimismo de quem nada mais espera do seu semelhante.
c) No início de sua carreira, o escritor mais se comporta como cronista de sua sociedade e de sua época; com a maturidade artística, opta por estruturar as narrativas segundo a forma mais frequente no século XIX.
d) Numa primeira etapa, o escritor ainda se preocupa com a apresentação de aspectos pitorescos do meio em que vivem as personagens; numa segunda, omite a apresentação do meio ambiente, fixando-se no retrato da condição solitária do homem.
e) Num primeiro momento, ainda preso às características mais gerais do romance do século XIX, o romancista preocupa-se muito com a construção da trama romanesca; num segundo, o romance se constrói em torno da análise dos caracteres, buscando aprender-lhes a natureza mais profunda.

13 – (UnB-DF) De Machado de Assis pode-se afirmar que:
      a) Em sua prosa, o homem quase desaparece e sobreleva a descrição das paisagens.
      b) Seu romance Ressurreição, de 1872, inicia a segunda fase do autor, a qual se caracteriza pela dimensão intimista.
      c) Na trilogia Memórias póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba e Dom Casmurro, o autor explora o tema do adultério, elaborando uma tela de suspeitas que se sustentam na dissimulação feminina.
      d) Como ficcionista inicia-se como romântico e evolui para o Realismo.
      e) Como poeta seus primeiros poemas são de caráter simbolista.
      f) Em seus primeiros livros de versos, vêem-se influências de Gonçalves Dias, Lamartine e Baudelaire.
      g) Sua prosa romântica caracteriza-se pelo transbordamento sentimental.
      h) Reproduz nos diálogos de suas personagens e linguagem popular.

14 – (VUNESP-SP):
                 “E assim, pouco a pouco, se foram reformando todos os seus hábitos singelos de aldeão português: e Jerônimo abrasileirou-se. A sua casa perdeu aquele ar sombrio e concentrado que a entristecia; já apareciam por lá alguns companheiros de estalagem, para dar dois dedos de palestra nas horas de descanso, e aos domingos reunia-se gente para o jantar. A revolução afinal foi completa: a aguardente de cana substituiu o vinho; a farinha de mandioca sucedeu à broa; a carne-seca e o feijão-preto ao bacalhau com batatas e cebolas cozidas; a pimenta-malagueta e a pimenta-do-reino invadiram vitoriosamente a sua mesa (...)”.
O trecho, que faz parte de um romance, ilustra uma das teses caras a certa escola literária vigente no Brasil no fim do século XIX e começo do século XX. No caso, essa tese só se compreende bem se o quadro de referências incluir uma personagem feminina como causa da transformação do português Jerônimo. Considerando esses pontos, assinale a alternativa correta:
a) O romance é A carne; a escola, o Naturalismo; a tese, a influência determinante do momento, e a personagem feminina, Lenita.
b) O romance é Casa de pensão; a escola, o Realismo-Naturalismo; a tese, a influência determinante da raça, e a personagem feminina, Bertoleza.
c) O romance é O cortiço; a escola, o Naturalismo; a tese, a influência determinante da raça; e a personagem feminina, Rita Baiana.
d) O romance é O cortiço; a escola, o Naturalismo; a tese, a influência determinante do meio, e a personagem, Rita Baiana.
e) O romance é O mulato; a escola, o Realismo; a tese, a determinação causal do meio, e a personagem, Ana Rosa.

15 – (FUVEST-SP):
               “Saímos à varanda, dali à chácara, e foi então que notei uma circunstância. Eugênia coxeava um pouco, tão pouco, que eu cheguei a perguntar-lhe se machucara o pé. A mãe calou-se; a filha respondeu sem titubear:
               --- Não, Senhor, sou coxa de nascença.”
Trecho fundamental do romance, não só dá título a um capítulo, como  serve para definir, com bastante nitidez, o caráter da personagem central.
De que obra se trata?
a) Amor de perdição.
b) Fogo morto.
c) São Bernardo.
d) Memórias póstumas de Brás Cubas.
e) O primo Basílio.

16 – (UFRS) Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do trecho abaixo.
        Os perfis femininos criados por Machado de Assis revelam, por exemplo, mulheres preocupadas em ascender socialmente e em manter as aparências.
Assim, hipócrita e dissimulada, _________, de _________, assemelha-se à inescrupulosa __________, ávida pelo dinheiro de Rubião, em_________.
a) Conceição – Quincas Borba – Marcela – Uns braços.
b) Marcela – A cartomante – Flora – Dom Casmurro.
c) Virgília – Memórias póstumas de Brás Cubas – Sofia – Quincas Borba.
           d) Capitu – Memorial de Aires – Genoveva – Missa do Galo.
           e) Sofia – Esaú e Jacó – Virgília – O alienista.

17 – (USF-SP):
               “E, aliás, gosto dos epitáfios; eles são, entre a gente civilizada, uma expressão daquele pio e secreto egoísmo que induz o homem a arrancar à morte um farrapo ao menos das sombra que passou. Daí vem, talvez, a tristeza inconsolável dos que sabem os seus mortos na vala comum; parece-lhes que a podridão anônima os alcança a eles mesmos.”
O fragmento acima, de Memórias póstumas de Brás Cubas, exemplifica a seguinte característica de seu autor:
a) O pessimismo com que trata as personagens que ocupam papéis privilegiados na sociedade burguesa, diferentemente do modo como lida com indivíduos socialmente carentes.
b) O uso da ironia como arma de combate às tendências estéticas do Romantismo, de que nunca sofreu influência.
c) A fixação nos problemas sentimentais, entendidos como única causa da conduta humana.
d) A tendência à idealização das personagens, herança do Romantismo.
e) A tentativa de compreender a natureza humana naquilo que tem de universal.

18 – (ITA-SP) Assinale o texto que, pela linguagem e pelas ideias, pode ser considerado como representante da corrente naturalista.
a) ”... essa noite estava de veia para a coisa; estava inspirada; divina! Nunca dançara com tanta graça e tamanha lubricidade! Também cantou. E cada verso que vinha de sua boca [...] era um arrulhar choroso de pomba no cio. E [...], bêbado de volúpia, enroscava-se todo ao violão; e o violão e ele gemiam com o mesmo gosto, grunhindo, ganindo, miando, com todas as vozes de bichos sensuais, num desespero de luxúria que penetrava até ao tutano com línguas finíssimas de cobra.”
b) “Na planície avermelhada dos juazeiros alargavam duas manchas verdes. Os infelizes tinham caminhado o dia inteiro, estavam cansados e famintos, [...] fazia horas que procuravam uma sombra. A folhagem dos juazeiros apareceu longe, através dos galhos pelados da caatinga rala.”
c) “Vivia longe dos homens, só se dava bem com animais. Os pés duros quebravam espinhos e não sentiam a quentura da terra. Montado, confundia-se com o cavalo, grudava-se a ele. E falava uma linguagem cantada, monossilábica e gutural, que o companheiro entendia.”
d) “Do seu rosto irradiava singela expressão de encantadora ingenuidade, realçada pela meiguice do olhar sereno [...] Ao erguer a cabeça para tirar o braço de sob o lençol, descera um nada a camisinha de crivo que vestia, deixando nu um colo de fascinadora alvura, em que ressaltava um ou outro sinal de nascença.”
e) “Hercules-Quasímodo, reflete no aspecto a fealdade típica dos fracos. A pé, quando parado, recosta-se invariavelmente ao primeiro umbral ou parede que encontra; a cavalo, se sofreia o animal para tocar duas palavras com um conhecido, cai logo sobre um dos estribos, descansando sobre a espenda da sela.”

19 – (UFSC) A(s) citação(ões) extraída(s) do livro O Ateneu é(são):
        a) ”Na repartição, os pequenos empregados, amanuenses e escreventes, tendo notícia desse seu estudo do idioma tupiniquim, deram não se sabe por que em chama-lo – Ubirajara.”
        b) “... chegou a senhora do diretor, D. Ema. Bela mulher em plena prosperidade dos trintas anos de Balzac, formas alongadas por graciosa magreza, erigindo, porém, o tronco sobre quadris amplos, fortes como a maternidade...”
        c) “Aristarco todo era um anúncio. Os gestos calmos, soberanos, era um rei – o autocrata excelso”.
        d) “Ralf pega a velha maleta do Homing, abre-a devagarinho, como quem abre uma gaiola de pássaro, para pegá-lo mansamente.”
        e) “Entrei apressado, atravessei o corredor do lado direito e no meu quarto dei com algumas pessoas soltando exclamações. Arredei-as e estaquei; Madalena estava estirada na cama, branca, de olhos vidrados, espuma nos cantos da boca”.

20 – (UFGO) Com relação a Machado de Assis, podem-se fazer as seguintes afirmações:
     a) Literariamente, sua obra inclui contos, poesias e romances;
     b) Os seus romances da fase realista incluem Dom Casmurro, Memórias póstumas de Brás Cubas, Helena e Quincas Borba;
     c) Machado de Assis dá muita importância à paisagem natural da cidade do Rio de Janeiro, onde suas narrativas transcorrem, descrevendo-a com colorido e detalhe;
     d) Memórias póstumas de Brás Cubas é considerado o livro-marco na obra machadiana, a partir do qual inicia sua fase mais profunda e madura;
     e) A visão de mundo de Machado, como se depreende da leitura de seus romances e contos, é irônica, pessimista e crítica;

     f) Com respeito ao estilo, Machado de Assis introduz um elemento pouco comum na literatura de sua época, que é a conversa que o autor/narrador mantém a todo momento com o leitor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário