terça-feira, 29 de agosto de 2017

ROMANTISMO - QUESTÕES DE VESTIBULARES - COM GABARITO

ROMANTISMO  - QUESTÕES DE VESTIBULARES 

01 – (FEI-SP) São características comuns aos movimentos romântico e modernista:
a)     Sentimento trágico da vida; desilusão e sofrimento.
b)    Visão da natureza como refúgio acolhedor; atração por ambiente noturnos.
c)     Projeção na natureza do estado de espírito do poeta; religiosidade cristã.
d)    Nacionalismo; liberdade; desejo de reformas sociais.
e)     Idealização da mulher; morte encarada como libertação.

02 – (ENC-SP) As duas obras-primas do romantismo português – Frei Luís de Sousa e Eurico, o Presbítero – gêmeas no tempo e nos motivos, saparam-se tanto quanto Garrett se afasta e diverge de Herculano. Um é a constante pessoal do português aberto à ordem clássica, o português lúcido e sensível da saudade e do pecado de delícia numa equação de tragédia, com sentimentos de Bermardim em formas de Camões; outro, o do português de cerne, que peca sobriamente e supera com dureza o seu pecado, sentindo a Sá de Miranda e falando com ásperos soluços. Ambos bem nossos.
                                                          Vitorino Nemísio.
       
Tendo por base o texto crítico abaixo e, sobretudo, a leitura de Frei Luís de Sousa e Eurico, o Presbítero, é correto afirmar que:

a)     O “português aberto à ordem clássica” difere de “português de cerne”, porque se deixa levar mais profundamente pela emoção, devido às influências da tragédia clássica.
b)    O problema do celibato, no drama de Garrett, serve para criar intenso conflito entre as personagens, que adotam o hábito forçadas pela situação; já, em Eurico, o Presbítero, supera-se a ideia do pecado, porque a personagem veste o hábito movida pela autêntica fé cristã e pelo desejo de combater os infiéis.
c)     Frei Luís de Sousa insere-se na linha da rigorosa construção clássica, que supõe a recuperação de típicos expedientes dramáticos da tragédia, enquanto que a construção mais livre, em Eurico, o Presbítero, implica a atualização em grande escala de expedientes comuns ao Romantismo, como o da expansão sentimental.
d)    Há influência clássica tanto em Frei Luís de Sousa quanto em Eurico, o Presbítero, presente na construção rigorosa das duas obras, que obedecem aos cânones da estética seiscentista.
e)     O sentimento da emoção, muito mais presente em Herculano do que em Garrett, é autenticamente português. Enquanto que a construção trágica não passa de influência estranha a Portugal.

03 – (ENC-SP) Amor de perdição é uma obra tipicamente romântica porque nela Camilo Castelo Branco valoriza:
a)     O sentimento nativista, presentes na recusa de Simão e Teresa em fugirem de Portugal, apesar de perseguidos pela justiça.
b)    As natureza, como fonte de vida e inspiração, em que Simão se refugia, no final da obra, quando não pode mais ter acesso a Teresa.
c)     Os valores espirituais de Cristianismo, a que Simão se apega quando é condenado ao degredo.
d)    O mundo das paixões, o excesso de sentimentos, evidentes no modo violento como Simão assassina Baltazar Coutinho.

04 – (FUVEST) Leia o texto abaixo:
        O pacto feito por ele com os árabes não tardou a ser por mil modos violado, e o ilustre guerreiro teve de se arrepender, mas já debalde, por haver deposto a espada aos pés dos infiéis, em vez de pelejar até à morte pela liberdade. Fora isto o que Pelágio preferira, e a vitória coroou o seu confiar no esforço dos verdadeiros Godos e na piedade de Deus.
        Agora, responda as questões:

I – Qual das características abaixo está presente no texto?
a)     Retomada dos valores medievais.
b)    Denúncia de males sociais.
c)     Despreocupação formal.
d)    Análise psicopatológica.
e)     Aproveitamento da mitologia clássica.

II – O autor do texto é:
a)     Eça de Queirós.
b)    Camilo Castelo Branco.
c)     Padre Antônio Vieira.
d)    Fernando Namora.
e)     Alexandre Herculano.

05 – (UNIVERSITÁRIO-SP) Leia com atenção o trecho abaixo, extraído do último capítulo de Amor de Perdição, de Camilo Castelo Branco.
        Viram-na um momento, bracejar, não para resistir à morte mas para abraçar-se ao cadáver de Simão, que uma onda lhe atirou aos braços. O comandante olhou para o sítio donde Mariana atirara, e viu, enleado no cordame, o avental, e à flor da água, um rolo de papéis, que os marujos recolheram na lancha.
a)     Que relação há, em Amor de Perdição, entre as personagens Simão e Mariana?
Mariana alimenta um amor resignado e subserviente a Simão. e Simão dedica à Mariana apenas um sentimento de gratidão.
b)    No trecho citado, o narrador menciona um “rolo de papéis”. Que papéis são esses?
Os papéis são as cartas trocadas entre Simão e Teresa.
c)     Considerando as respostas dadas aos itens a e b, analise a função desempenhada pela personagem Mariana na estrutura do romance.
Mariana serve de apoio a Simão nas adversidades que ele enfrenta. Além disso, Mariana é o elo de ligação entre Simão e Teresa.

06 – (METODISTA-PIRACICABA-SP) Na primeira metade do século XIX, a discordância entre a literatura e a modernização presentifica-se de maneira nítida e profunda. Pelas obras literárias percebe-se uma cosmovisão marcada pelo choque com o cotidiano imediato e as evidências de um mal-estar, que passou a ser conhecido como o mal do século. Os textos revelam uma ânsia de evasão deste presente circunstancial e descolorido. Na busca de compreensão, o artista valoriza a imaginação criadora: a arte se converte em manifestação da alma... e assim tem-se o:
a)     Simbolismo.
b)    Parnasianismo.
c)     Romantismo.
d)    Barroso.
e)     Pré-modernismo.

07 – (FCMSC-SP) A renovação das formas, a liberdade de expressão e a tentativa de incorporar à literatura nossas coisas mais típicas – como particularidades regionais e termos indígenas – são marcas frequentes do:
a)     Barroco.
b)    Arcadismo.
c)     Romantismo.
d)    Realismo.
e)     Pré-modernismo.

08 – (OSEC-SP):
        Do tamarindo a flor faz entreaberta,
        Já solta o bogari mais doce aroma,
        Também meu coração, como estas flores,
        Melhor perfume ao pé da noite exala!

              É possível reconhecer, na estrofe acima, um exemplo da corrente:



a)     Barroca, pela imagem que evoca a natureza como símbolo da transitoriedade da vida.
b)    Arcádica, pois o poeta revela seu amor a uma natureza idealizada.
c)     Romântica, pela identificação dos sentimentos humanos com aspectos da natureza.
d)    Parnasiana, pela apresentação da natureza com imagem da perfeição.
e)     Simbolista, pois a natureza é apenas um recurso que o poeta transcende, atingindo um nível de espiritualidade plena.

09 – (UFPR) Alguns dos maiores expoente da estética romântica em Portugal no século XIX foram:
a)     Castro Alves, Almeida Garret e Alexandre Herculano.
b)    Cesário Verde, Álvares de Azevedo e Castro Alves.
c)     Eça de Queiroz, Camilo Castelo branco e Vitor Hugo.
d)    Stendhal, Antero de Quental e Fagundes Varela.
e)     Almeida Garret, Alexandre Herculano e Camilo Castelo Branco.

10 – (OBJETIVO-SP) Assinale a característica não-aplicável à poesia romântica:
a)     O artista goza de liberdade na metrificação e na distribuição rítmica.
b)    O importante é o culto da forma, a arte pela arte.
c)     A poesia é primordialmente pessoal, intimista e amorosa.
d)    Enfatiza-se a auto-expressão, o subjetivismo, o individualismo.
e)     A linguagem do poeta é a mesma do povo: simples, espontânea.

11 – (FUNVEST) O autor de Lendas e narrativas pertenceu ao movimento romântico.
a)     Quem foi?
Alexandre Herculano.
b)    Em que época se passam as Lendas e narrativas?
Fim da Idade Média.
12 – (FUVEST) Qual o autor considerado o mestre da novela passional portuguesa? Indique o século e o movimento literário em que se situa sua obra.
      Camilo Castelo Branco. Sua obra situa-se no século XIX e pertence ao Romantismo.

13 – (UNESP):
        Desde que saímos da igreja até a entrada de casa, caminhamos sempre debaixo de nuvens de flores. O estrondo dos bacamartes era atroador, e os sinos da freguesia repicaram desde que saímos do templo até ao anoitecer desse dia.
        Meia hora depois que chegamos, entrei no quarto de minha mulher, e encontrei-a de joelhos diante duma imagem de S. João dos Bem Casados.
        Ergue-se ela, benzendo-se, e esperou que eu a beijasse pela segunda vez. Penso que o público me releva a confissão de que, ao dar-lhe este segundo beijo, encontrei os lábios. Era o instinto das sensações agradáveis, mas honestas, que ensinou a minha mulher o segredo do máximo prazer de um beijo.
        Estava o almoço na mesa.
              O texto que você acabou de ler pertence a uma novela de Camilo Castelo Branco que é considerada como um bom exemplo da sátira camiliana. 

A leitura atenta do texto permitirá identificar o título da novela, em uma das alternativas abaixo indicadas:
a)     Coração, cabeça e estômago
b)    O romance dum homem rico.
c)     A mulher fatal.
d)    Amor de salvação.
e)     A queda dum anjo.

14 – (PUC-RS) Marque a alternativa correta sobre a obra Amor de Perdição, de Camilo Castelo Branco:
a)     Trata-se de uma narrativa centrada na opressão da liberdade individual, opressão esta promovida por uma sociedade provinciana ligada a velhos preconceitos.
b)    Estabelece-se, na narrativa, o conflito entre o meio social, com a consequente vitória do indivíduo através da realização de seus objetivos.
c)     Nota-se que o sentimento amoroso, a imaginação e a sensibilidade são valores que realçam a liberdade individual e abrem, a expectativa de manutenção das normas sociais institucionalizadas.
d)    Percebe-se que o sentimento do amor romântico entra em relação de equilíbrio com a razão, para manter a liberdade do indivíduo e o seu contato harmônico com o meio social provinciano.
e)     Observa-se a pouca importância atribuída ao sentimento amoroso, que é superado pela razão equilibrada de uma sociedade provinciana e estável.

15 – (FUVEST) Assinale a alternativa que só contém características românticas:
a)     Fusionismo – Dualismo – sentido dilemático da vida – oposições, paradoxos e antítese – metaforização.
b)    Simplicidade – bucolismo – pastoralismo – relacionalismo – “poesia de gramática”.
c)     Sentimentalismo – valorização da natureza – religiosidade – egocentrismo – miscigenação dos gêneros literários – metaforização.
d)    Formalismo – temas greco-latinos e patrióticos – preferência pelas formas fixas e versos alexandrinos – impassibilidade – denotação – descritivismo.
e)     Musicalidade – sinestesia – sugestão – não-separação de sujeito e objeto – metaforização – fusão de concreto + abstrato.

16 – (FUVEST) Assinale o que não é correto sobre a poesia romântica:
a)     De modo geral, a mensagem focaliza a pessoa do emissor (“eu”), predominando a função emotiva da linguagem.
b)    A poesia romântica marca uma ruptura com a poética clássica, quando abandona os esquemas métricos regulares e deprecia o soneto.
c)     A poesia romântica retoma os temas do Neoclassicismo, apenas inovando a seleção vocabular, que se torna pessoal.
d)    De maneira geral, acentua-se na poesia romântica o seu caráter intimista, uma vez que a poesia é pensada como “voz do coração” ou expressão de um pensamento divino.
e)     Dos dois procedimentos básicos de operação com a língua, a metáfora: do que decorre a idealização de seus poemas.

17 – (UNI-TAUBATÉ-SP) Das características abaixo, assinale a que não se refere ao Romantismo:
a)     Poesia encarada como expressão dos estados da alma.
b)    Valorização da natureza.
c)     Estabelecimento de rígidas leis artísticas.
d)    Liberdade de expressão e forma.
e)     Temática nacionalista.

18 – (SANTA CASA-SP) Afrânio Coutinho aponta as seguintes qualidades que caracterizam o espírito romântico:
I – Individualismo e subjetivismo.
II – Escapismo.
III – Exagero.
E explica:
a)     Na sua busca de perfeição, o romântico cria o mundo em que coloca o que imagina de bom, bravo, belo, amoroso, puro, um mundo de perfeição e sonho.
II - Escapismo.
b)    O romantismo é o primado exuberante da emoção, imaginação, paixão, intuição, liberdade pessoal e interior.
I - Individualismo e subjetivismo.
c)     Nem fatos nem tradições despertam o respeito do romântico. Pela liberdade, revolta, fé e natureza, constrói o mundo novo à base do sonho.
III - Exagero.
       A melhor associação de qualidade e explicações é:
a – I – b;   II – c;   III – a.
b – I – c;   II – a;   III – b.
c – I – a;   II – b;   III – c.
d – I – c;   II – b;   III – a.
e – I – b;   II – a;   III – c.

19 – (FUVEST):
a)     Dentre as obras – Camões; Eurico, o Presbítero, Flores sem frutos – qual a iniciadora do movimento romântico em Portugal?
Camões.
b)    Qual o seu autor?
Almeida Garret.

20 – (PUC-RJ) Das alternativas abaixo, assinale aquela que não corresponde às características do Romantismo:
a)     Ocorre a superação das normas literárias construtoras e negação da concepção tradicional de poesia.
b)    Movimento que dá origem a políticas conservadoras, bem como ao socialismo.
c)     O homem manipula e domina a natureza, não mais a obedece.
d)    Desvaloriza a expressividade da alma, ocorrendo a primazia da obra (objeto) sobre o indivíduo (criador).
e)     Insere-se no momento histórico em que o homem adquire a ideia de liberdade.


21– (VUNESP):
        Simão, meu esposo. Sei tudo... Está conosco a morte. Olha que te escrevo sem lágrimas. A minha agonia começou há sete meses. Deus é bom, que me poupou ao crime. Ouvi a notícia da tua próxima morte, e então compreendi que estou morrendo hora a hora. Aqui está o nosso fim, Simão! ... Olha as nossas esperanças! quando tu me dizias os teus sonhos de felicidade, e eu te dizia os meus! ... Por que não merecemos nós o que tanta gente tem! ... Assim acabaria tudo, Simão? Não posso crê-lo! A eternidade apresenta-se me tenebrosa, porque a esperança era a luz que me guiava de ti para a fé. Mas não pode findar assim o nosso destino. Vê se podes segurar o último dia da tua vida a uma esperança qualquer. Vernos-emos num outro mundo, Simão? Terei eu merecido a Deus contemplante? Eu rezo, suplico, mas desfaleço na fé, quando me lembram as últimas agonias do teu martírio.
      O texto acima transcrito pertence a uma carta que Teresa de Albuquerque escreve a Simão Botelho, numa novela considerada o melhor exemplo de novelística romântica em Portugal. O texto é, portanto, característico do estilo romântico e evidencia elementos que permitem identificar a novela a que pertence e o nome do seu autor.

      Assim sendo, responda às seguintes questões:
I – Qual o nome do autor e qual o título da novela a que o texto pertence?
     Camilo Castelo Branco – Amor de Perdição.
II – Indique alguns segmentos (frases ou palavras) que, no texto, são característicos da escola romântica.
     “Está conosco a morte”.
     “Olha que te escrevo sem lágrimas”.
     “Deus é bom (...)”.
     “Eu rezo, suplico, mas desfaleço na (...)”.
III – Que outros romancistas e poetas românticos você conhece na literatura portuguesa?
     Almeida Garrett, Soares de Passos, Alexandre Herculano, Antônio Castilho, João de Lemos.

22 – (VUNESP) A poesia deste autor é representativa do ultra romantismo português: pessimismo, morte, ruínas, mal-do-século – spleen, irracionalismo, cemitérios, cadáveres e sentimentos lúgubres:
a)     João de Deus.
b)    Camilo Castelo Branco
c)     Soares de Passos.
d)    Castilho.
e)     Álvares de Azevedo.

23 – (UFV-MG) Assinale a alternativa falsa:
a)     O Romantismo, como estilo, não é modelado pela individualidade do autor; a forma predomina sempre sobre o conteúdo.
b)    O Romantismo é um movimento de expressão universal, inspirado por modelos medievais e unificado pela prevalência de características comuns a todos os escritores da época.
c)     O Romantismo, como estilo de época, constitui, basicamente, um fenômeno estético-literário, desenvolvido em oposição ao intelectualismo e à tradição racionalista e clássica do século VIII.
d)    O Romantismo, ou melhor, o espírito romântico, pode ser sintetizado numa única qualidade: a imaginação. Pode-se creditar à imaginação a capacidade extraordinária dos românticos de criarem mundos imaginários.
e)     O Romantismo possui características como o subjetivismo, o ilogismo, o senso de mistério, o exagero, o culto da natureza e o escapismo.

24 – (UFV-MG) Quanto à diferença de conceitos da relação homem/mundo, expresso pela arte e pela literatura, pode-se afirmar:
I – No Barroco, essa relação se mostra emocional; pode-se dizer dramática.
II – No Romantismo, essa relação se mostra pessimista, procurando na natureza um lugar de refúgio idealizado.
III – No Barroco, essa relação mostra-se equilibrada, liberta de forças contrárias.
IV – No Neoclassicismo e no arcadismo, essa relação se mostra orientada por critérios racionais e intelectuais.
V – No Romantismo, essa relação se mostra mediada pela visão e interpretação científica da realidade.
Assinale a opção correta:
a)     Todas as alternativas estão corretas.
b)    Apenas as alternativas I, II e III estão corretas.
c)     Apenas as alternativas I, IV e V estão corretas.
d)    Apenas as alternativas I, II e IV estão corretas.
e)     Apenas as alternativas II, III e IV estão corretas.

25 – (UFU-MG) O homem de todas as épocas se preocupa com a natureza. Cada período a vê de modo particular. No Romantismo, a natureza aparece como:
a)     Um cenário cientificamente estudado pelo homem; a natureza é mais importante que o elemento humano.
b)    Um cenário estático, indiferente; só o homem se projeta em busca de sua realização.
c)     Um cenário sem importância nenhuma; é apenas pano de fundo para as emoções humanas.
d)    Confidente do poeta, que compartilha seus sentimentos com a paisagem; a natureza se modifica de acordo com o estado emocional do poeta.
e)     Um cenário idealizado onde todos são felizes e os poetas são pastores.

26 – (UFPA) Os versos abaixo são de Soares de Passos:
         Vai alta a lua! na mansão da morte
         Já meia-noite com vagar soou.
         Que paz tranquila; dos vaivéns da sorte
         Só tem descanso quem ali baixou.
         Que paz tranquila! ... mas eis longe, ao longe
         Funérea campa com fragor rangeu;
         Branco fantasma semelhante a um monge,
         Dentre os sepulcros a cabeça ergueu.

                 Caracterizam o ultra romantismo devido:




a)     À introspecção subjetiva.
b)    À predestinação para a grandeza.
c)     À beleza estética.
d)    Ao gosto pelo fúnebre e ao tom melodramático.
e)     À relação entre Deus e o homem.

Um comentário: